Siga-nos

Turismo e Lazer

Descubra o Parque da Independência

Publicado

em

O Museu do Ipiranga está em reforma e deve reabrir ao público em setembro desse ano. Mas, essa semana os tapumes envolvendo o prédio principal foram retirados e, como o São Paulo Zona Sul já mostrou, os jardins estão sendo reformados e recuperados.  Então, uma boa pedida de passeio ao ar livre, nesses dias quentes, pode ser conhecer o Parque da Independência, “endereço” do Museu.

O Parque ainda abriga um horto botânico, o jardim “francês”, a Casa do Grito e o Monumento à Independência, conjunto tombado pelo Iphan, Condephaat e Conpresp.

Municipal, o Parque contqa com várias atrações: Praça para eventos, estacionamento, pista de Cooper, aparelhos de ginástica, playground, área de estar, sanitários, chafariz com fonte e cascata.

Em sua área há equipamentos administrados por outros órgãos, como a Casa do Grito (SMC), o Monumento da Independência e Cripta Imperial, o próprio Museu Paulista (conhecido popularmente como Museu do Ipiranga, administrado pela USP) e, nos limites do parque, o Museu de Zoologia (USP).

Possui estacionamento gratuito, rede wi-fi e acessibilidade em equipamentos de ginástica, banheiros, entrada do parque e nas áreas de circulação.

Tombado pelo CONDEPHAAT, CONPRESP E IPHAN, o parque é um marco histórico nacional. Na Colina do Ipiranga, junto ao Riacho do Ipiranga, D. Pedro I declarou o país independente de Portugal, em 1822.

No jardim francês à frente do Museu Paulista destacam-se topiarias de azaleia (Rhododendron simsii), buxo (Buxus sempervirens) e falsa-figueira-benjamim (Ficus microcarpa), canteiros de rosas (Rosa sp.) e arranjos de palmeiras e pinheiros e sagu-das-molucas (Cycas circinalis).

No bosque ao fundo do Museu encontram-se espécies como araribá-rosa (Centrolobium tomentosum), bambu-chinês (Bambusa tuldoides), canela-batalha (Cryptocarya mandioccana), canelinha-cheirosa (Nectandra megapotamica), cedro (Cedrela fissilis), embiruçu (Pseudobombax grandiflorum), etc.

Na fauna,  destaque para 14 espécies de borboletas, quatro mamíferos e 73 espécies de aves. Dentre os mamíferos incluem-se a preguiça-de-três-dedos, o gambá-de-orelha-preta, e os saguis-de-tufo-branco e de-tufo-preto, estes últimos animais silvestres originários das regiões nordeste e sul do país, introduzidos no estado de São Paulo por meio do tráfico ilegal para serem comercializados como animais domésticos.

É um parque para realizar avistar papagaios, periquitos, maracanãs e tuins) que encantam pela gritaria, coloração e comportamentos. Pica-paus e tiranídeos (pássaros da família do bem-te-vi) também estão bem representados.

Há playground e equipamento de ginástica,  pista de skate, lanchonete, vestiários, Viveiro, estares, deck e espaço para exposições arqueológicas (um pedido do IPHAN).

Fica na Avenida Nazareth, s/n – Ipiranga. Aberto diariamente das 5h às 20h. Telefone: (11) 2273-7250. Abertos os portões das Ruas Padre Marchetti, Patriotas e Sorocabanos.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

© 2022 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados