Siga-nos

Ecourbis

Vidro: reaproveitar é fundamental

Publicado

em

Material pode ser encaminhado à reciclagem pela coleta seletiva, mas reuso é atitude inteligente e ambientalmente correta

Cerca de 47% do vidro usado em embalagens no Brasil é reciclado. O processo é infinito, ou seja, um vidro que foi triturado e transformado em novo objeto poderá futuramente passar pelo mesmo processo indefinidamente.  Entretanto, o material ainda não é considerado tão atrativo por cooperativas: é mais pesado, não tem alto valor e ainda tem características cortantes. Assim, o total efetivamente reciclado no país ainda não atinge níveis europeus – na Alemanha, por exemplo, estima-se que 87% do vidro é reciclado; na Suécia, chega a 95%.

No Brasil, das 470 mil toneladas recicladas por ano, a maior parte (50%) vem ou da própria indústria de envaze e do refugo da indústria. Outros  40% vêm do mercado difuso e 10% do “canal frio” (bares, restaurantes, hotéis etc).

O principal mercado para recipientes de vidros usados é formado pelas vidrarias, que compram o material de sucateiros na forma de cacos ou recebem diretamente de suas campanhas de reciclagem. Além de voltar à produção de embalagens, a sucata pode ser aplicada na composição de asfalto e pavimentação de estradas, construção de sistemas de drenagem contra enchentes, produção de espuma e fibra de vidro, bijuterias e tintas reflexivas.

A reciclagem, entretanto, tem inúmeros benefícios.  O vidro não é um material que pode ser compactado e ocupa muito espaço em aterros.

Além disso, consome muita matéria prima e energia: para cada metro cúbico de vidro fabricado a partir de fontes primárias, é necessário extrair pelo menos 7 metros cúbicos de rocha. A temperatura exigida de fusão menor, na reciclagem, é menor que a utilizada na fabricação inicial.

Isso representa uma redução de até 300 kg de Gás Carbônico (CO2) por tonelada de vidro reciclado. A energia economizada com a fabricação de uma única garrafa de vidro com material reciclado poderia alimentar uma televisão por 20 minutos.

Para encaminhar à reciclagem, não esqueça de acondicionar o material adequadamente e colocar em data e horário correto para coleta seletiva. Veja horários em www.ecourbis.com.br.

Mas, outra boa atitude para quem quer fazer uso ambientalmente correto de embalagens de vidro é o reaproveitamento. Potes de conserva, por exemplo, têm inúmeros usos na cozinha: vedam adequadamente os alimentos, não retêm cheiro, não mancham.

Podem ser também usados na decoração, como vasos (especialmente as garrafas de bebidas), cofrinhos e porta moedas, porta-objetos em oficinas, para itens de costura, na montagem de abajures e outros produtos de decoração.

Há ainda a possibilidade de doar para bancos de leite humano, que usam os potes esterizados (veja nesta página).

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados