Siga-nos

Saúde

Vacinas avançam, máscaras voltam

Publicado

em

A Secretaria Municipal da Saúde (SMS) inicia segunda-feira (30) a aplicação da dose de reforço da vacina contra a Covid-19 em adolescentes de 12 a 17 anos de idade da capital. A decisão vem após ofício enviado pela Pasta ao Ministério da Saúde (MS) apontando a importância de se ampliar a imunização nesse grupo no momento atual da pandemia e solicitando a inclusão do público como elegível para a dose de reforço.

A vacinação estará disponível para aqueles que receberam a segunda dose (D2) há pelo menos quatro meses. Poderão ser utilizados os imunizantes da Pfizer e Coronavac, conforme disponibilidade nas unidades de saúde. A recomendação também vale para adolescentes gestantes e puérperas. No caso dos adolescentes imunocomprometidos, apenas a vacina da Pfizer deverá ser utilizada.

Desde fevereiro deste ano, a dose de reforço estava disponível apenas para adolescentes imunossuprimidos e, até o momento, 4.520 doses foram aplicadas. Em todo o público de 12 a 17 anos já foram aplicadas 978.330 primeiras doses (D1) e 876.506 segundas doses (D2), com cobertura de 115,9% e 103,8%, respectivamente.

Para o secretário municipal da saúde, Luiz Carlos Zamarco, a inclusão dos adolescentes nos grupos elegíveis para dose de reforço contribuirá na manutenção do cenário epidemiológico da capital. “Além da proteção individual do adolescente, essa ampliação contribui diretamente para a preservação da estabilidade no cenário epidemiológico neste momento de chegada do inverno, onde é esperado um aumento de doenças respiratórias, entre elas, a Covid-19”, disse o secretário.

A partir de segunda-feira (30), a vacinação ocorre em toda a rede: UBSs e AMAs/UBSs Integradas, das 7h às 19h, e megapostos e drive-thrus, das 8h às 17h.

Mais informações e a lista completa dos postos podem ser encontradas na página do Vacina Sampa, disponível em: https://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/saude/vigilancia_em_saude/index.php?p=307599.

Para outras faixas etárias ainda não há confirmação do avanço da vacinação. O Ministério da Saúde já prevê a ampliação da quarta dose para pessoas acima de 50 anos, mas o Governo do Estado de São Paulo está anunciando que priorizará uma quinta dose para idosos e imunossuprimidos.

Aumento de casos

A média móvel de casos de covid-19 chegou a 30.487 notificações diárias, maior número desde 26 de março, segundo o painel de dados Monitora Covid-19, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz). Apenas uma semana antes, em 25 de maio, a média era de 14.970, menos da metade do registrado atualmente. Os dados foram atualizados na noite de ontem (1º).

O frio que tomou conta de grande parte do país em maio, associado ao relaxamento de medidas de prevenção, como o uso de máscaras, são algumas das causas do aumento dos casos, segundo Leonardo Bastos, pesquisador da Fiocruz e integrante da equipe responsável pelo Boletim InfoGripe, que monitora os casos de síndrome respiratório aguda grave (SRAG) no país.

O boletim divulgado nesta semana indicou que 20 das 27 unidades da federação apresentam tendência de alta de síndromes respiratórias nas últimas seis semanas.

Bastos explica que, no frio, a tendência é que as pessoas permaneçam em lugares fechados, com menor circulação de ar. Isso facilita a infecção por vírus respiratórios em geral e, em especial, pelo SARS-CoV-2, que é altamente transmissível.

O pesquisador disse que foi observado no país o crescimento de casos de SRAG em todas as faixas etárias, e principalmente em idosos, o que também costuma estar associado à covid-19 e pode indicar a circulação de novas variantes ou sublinhagens do vírus.

“Eu não estou dizendo que essa subida é por conta de uma nova variante, mas ela pode ser uma sublinhagem da Ômicron. A gente não tem essa informação, mas o que o dado está dizendo é parecido com a chegada de outras variantes”, explica o pesquisador.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

© 2022 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados