Jornal São Paulo Zona Sul

Tosse por mais de três semanas? Cuidado! Pode ser tuberculose!

Em 24 de março é celebrado o Dia Mundial de Combate à Tuberculose, que atingiu mais de 60 mil pessoas no município de São Paulo entre os anos de 2008 e 2018.

A estimativa é que uma pessoa doente e com o bacilo ativo no escarro infecte, em média, de 10 a 15 pessoas no período de um ano. O diagnóstico e tratamento estão disponíveis em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) da capital.

A doença tem cura, porém, como a melhora clínica é muito rápida (com diminuição dos sintomas em um mês), alguns pacientes abandonam a medicação, que deve ser tomada regularmente durante seis meses. A interrupção aumenta a chance de causar resistência do organismo ao remédio, o que pode levar a necessidade de troca dos medicamentos e ampliação do tempo necessário para a cura do paciente.

A tuberculose é transmitida por via respiratória quando o doente fala, tosse ou espirra. Já o compartilhamento de objetos como roupas, toalhas ou copos não trazem risco de contaminação. Tosse persistente por mais de três semanas é o principal sintoma da doença, que também provoca dores no peito, perda de peso, falta de apetite, febre e sangramento das veias respiratórias.

A prevenção à tuberculose é oferecida pela vacina BCG, aplicada em crianças recém-nascidas ou com até, no máximo, 4 anos, 11 meses e 29 dias de vida. A dose protege a criança contra as formas mais graves da doença e está disponível gratuitamente, no Sistema Único de Saúde (SUS), incluindo maternidades. A vacina não dá imunidade para o adulto.

1 comentário

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!