Siga-nos

#VacinaçãoCovid

São Paulo usará apenas Pfizer como dose de reforço

Publicado

em

De agora em diante, os idosos e imunossuprimidos que precisam tomar dose de reforço da vacina contra a Covid 19 vão receber exclusivamente imunizantes da Pfizer. A terceira dose, vale lembrar, só pode ser aplicada seis meses após a aplicação da segunda dose ou dose única e vale para qualquer imunizante que a pessoa tenha tomado anteriormente – Coronavac, Pfizer, Astrazeneca ou Jannssen.

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) recebeu 344 mil doses que já começaram a ser vacinados idosos com mais de 85 anos.

Estão elegíveis para receber a dose de reforço todos os vacinados com segunda dose há mais de seis meses. O objetivo é garantir proteção adicional à população mais vulnerável ao novo coronavírus, em especial à variante delta, predominante no município.

A Secretaria Municipal de Saúde reiterou que todas as vacinas aplicadas na cidade de São Paulo foram aprovadas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Intercambialidade

Qualquer pessoa que deveria ter tomado a segunda dose de AstraZeneca e ainda não completou o esquema vacinal também poderá comparecer a um dos postos de vacinação para receber o imunizante da Pfizer.

Essa medida excepcional e emergencial se deve à indisponibilidade momentânea das vacinas de AstraZeneca. O município aguarda a entrega de novos lotes do imunizante pelo Ministério da Saúde, que está prestes a acontecer, normalizando a situação. Cabe salientar que é segura e eficaz a combinação dos dois tipos de vacinas.

A Prefeitura também recomenda que a população acompanhe a disponibilidade de segundas doses dos imunizantes por meio da plataforma De Olho na Fila, no seguinte endereço: https://deolhonafila.prefeiturasp.gov.br/.

Toda a rede está aberta para a imunização do público elegível para primeira dose (D1), segunda dose (D2) e dose adicional. Os idosos devem comparecer a um dos postos de vacinação do município com o comprovante de vacinação, documento com foto e comprovante de residência na capital.

Com relação aos pacientes acamados em domicílio, a vacinação é feita pela equipe da Unidade Básica de Saúde (UBS) de referência do usuário, assim como nas Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs) e população indígena aldeada na cidade de São Paulo.

Cobertura

Entre os adultos com mais de 18 anos, 66,3% receberam a segunda dose (D2) ou a dose única (DU), marca que chega a 105,4% para aqueles que receberam a D1 ou a DU. São 9.726.817 adultos com D1 ou DU e 6.122.525 com D2 ou DU, para um público-alvo estimado em 9.230.227.

E, embora o Ministério da Saúde tenha recomendado a antecipação de aplicação segunda dose da Pfizer ou Astrazeneca, para oito semenas em vez das atuais 12, ainda não há nada oficial, nem no Estado de São Paulo, nem na Prefeitura.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados