Jornal São Paulo Zona Sul

Salões de beleza, bares e restaurantes devem reabrir somente dia 6

No início da tarde de hoje (26/06) em coletiva de imprensa realizada no Palácio dos Bandeirantes o governador João Doria confirmou a reclassificação da capital paulista para a fase Amarela do Plano São Paulo de Retomada Econômica.

O anúncio feito juntamente com o prefeito Bruno Covas também trouxe a informação que, apesar de já estar na fase de liberação de bares, restaurantes e salões de beleza a cidade de São Paulo ainda irá aguardar até a próxima sexta-feira (03/07) para que a estabilidade de internações e óbitos se confirme.

A análise dos dados de cada região do Estado é feita ao longo da semana e eventuais reclassificações agora estão sendo divulgadas às sextas. Enquanto a capital pode evoluiu para uma fase mais avançada de reabertura, com autorização para estabelecimentos dos setores de gastronomia e beleza, o interior do Estado tem apresentado aumento do número de casos registrados e mortes, ao mesmo tempo em que os leitos de UTI hospitalar estão com alta taxa de ocupação, portanto várias regiões retrocederam à fase vermelha.

Várias regiões do interior do Estado já haviam recuado na reabertura do comércio e saíram da Fase Amarela – em que bares, restaurantes e salões de beleza estão abertos – para a Fase Vermelha, de fechamento inclusive do comérdio de rua e shopping centers. Nesta semana, apenas no intervalo entre domingo (21) e quarta-feira (24) o interior viu 10.752 novas confirmações de casos, ante 7.670 na capital. Em apenas quatro dias, a pandemia avançou 28,7% a mais fora da cidade de São Paulo. Também pela primeira vez, o número absoluto de mortes por COVID-19 no interior (6.677) superou o da capital (6.675) ao longo da pandemia.

Abre ou não?

A Prefeitura confirmou que apesar da cidade já ter avançado para a próxima fase do Plano São Paulo, ainda assim será necessário confirmar se os protocolos apresentados pelos setores – tanto de beleza quanto de gastronomia – estão de acordo com as normas de segurança e saúde, para só então efetivamente decretar a reabertura.

Apesar dos protocolos já terem sido apresentados anteriormente, e a expectativa ser de que as análises estejam avançadas e a abertura aconteça rapidamente, o prefeito Bruno Covas decidiu adiar a abertura dos setores gastronômico e de beleza pelo menos até a próxima sexta-feira (03/07) para que não haja risco de retrocesso da cidade para a fase laranja e os estabelecimentos tenham que ser fechados novamente.

Os restaurantes e bares deverão seguir uma série de normas para funcionamento – espaço entre mesas e clientes, não pode haver pessoas em pé, todos devem manter as máscaras até o momento de comer e não pode haver superlotação – nem na área externa, que deve ser controlada pelo próprio restaurante. Não pode haver música ao vivo, também.

Em restaurantes no modelo buffet/self service, além do álcool em gel devem ser oferecidas luvas aos clientes.

O funcionamento deve se limitar a seis horas diárias.

Também para os salões de beleza vai valer a regra do limite de seis horas diárias. Distância entre os postos de atendimento e hora marcada são outras exigências para o setor, que também deve garantir higienização das bancadas e assentos após cada uso.

Escolas

O Governo do Estado anunciou essa semana um plano para retomada das aulas, mas ainda com muitas lacunas, ou seja, faltam detalhamentos da proposta. De acordo com o plano, a expectativa é de que em 8 de setembro as escolas de todo o estado – particulares e públicas, incluindo cursos livres – possam retomar as atividades presenciais, mas ainda limitados a 35% do total de alunos.

Para que a proposta se concretize, entretanto, todo o estado deverá estar em Fase Amarela pelos 28 dias anteriores. Não foi detalhado como seria feito o rodízio entre alunos no dia a dia.

Outra expectativa que não tem se confirmado, no Estado de São Paulo, é sobre a testagem em massa da população, que poderia facilitar planejamento e retomada de atividades

Comentar