Jornal São Paulo Zona Sul

Retomada de aulas em 8 de setembro é improvável

A quarentena em São Paulo vai até dia 10 de agosto, em princípio. Mas, muitas regiões do Estado ainda se encontram nas fases vermelha ou laranja da quarentena, o que indica que nova prorrogação pode ser feita.
Paralelamente, há uma expectativa e forte discussão com relação à provável data de volta às aulas, já que o Governo do Estado havia indicado a possibilidade de serem retomadas em 8 de setembro, uma terça-feira, logo após o feriado da Independência do Brasil.

No entanto, para que a previsão se confirme seria necessário que no dia 11 de agosto, um dia após a data em que a quarentena supostamente termina, todo o Estado esteja já na fase Amarela da quarentena. Isso significa que regiões ainda classificadas na fase vermelha teriam que progredir duas fases, com redução no número de casos registrados, óbitos e ocupação das UTIs de hospitais locais, em apenas dez dias…
Será que o Governo do Estado vai estudar a volta em algumas cidades – como a própria capital – e não em outras?

A pergunta ganha mais força depois que o consórcio de cidades da região metropolitana confirmou que ao menos cinco cidades já bateram o martelo: não vão retomar as aulas presenciais nesse ano e confirmaram que, independente da decisão da Secretaria de Estado da Saúde, só reabrirão as portas de escolas em 2021.

São elas: Santo André, São Bernardo do Campo, Mauá, Rio Grande da Serra e Ribeirão Pires. Por enquanto, o Governo informou apenas que esse tipo de decisão – de adiar a reabertura das escolas só para 2021 – cabe à cada cidade…

Na capital, os vereadores estão debatendo o tema e há até proposta de deixar a decisão sobre retomada ou não das aulas para os pais. Já entidades que representam o professorado são contra a volta às aulas e o Sindicato das Escolas Particulares defende o retorno rápido e não atrelado às escolas públicas (veja matéria).

Fases

O fato é que o prazo para definição está se esgotando, a tomar por base as próprias previsões do governo.
Na atualização de fases no Estado dessa sexta, 31 de julho, o governo do Estado anunciou que 15 cidades do Vale do Ribeira voltaram novamente à fase 1 vermelha de restrição total de atendimento presencial em comércios e serviços não essenciais. Nas demais regiões, a classificação se manteve em relação à avaliação da semana passada.

Até a reclassificação do próximo dia 7 de agosto, outras três áreas de DRS permanecem na etapa 3 vermelha: Franca, Piracicaba e Ribeirão Preto. A maior parte do estado continua na fase 2 laranja, que permite abertura restrita de escritórios, imobiliárias, comércio de rua, shoppings e concessionárias. Atualmente, essa etapa abrange as regiões de Araçatuba, Barretos, Bauru, Campinas, Marília, Presidente Prudente, São João da Boa Vista, São José do Rio Preto, Sorocaba, Taubaté e a sub-região Norte da Grande São Paulo.

Na fase 3 amarela, permanecem as regiões de Araraquara e Baixada Santista, além da capital e sub-regiões Leste, Oeste, Sul e Sudeste da Grande São Paulo. Ela permite reabrir bares, restaurantes e salões de beleza com 40% da capacidade, além de academias com 30% de vagas e expediente limitado.

Ou seja, será que até a próxima semana, todas as regiões que estão nas fases vermelha e laranja evoluirão para Amarela, para dar o prazo de 28 dias necessários para reabertura das escolas em 8 de setembro?
Certamente não. A única hipótese, portanto, de a cidade de São Paulo retomar aulas seria desvincular a capital do restante do Estado…

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!