Jornal São Paulo Zona Sul

Região tem mais de 50 mil orientais

Saúde é o distrito da cidade que mais tem pessoas que se definiram como “amarelas”, com 5 mil a mais que Liberdade

O Censo 2010 comprovou uma informação que já era reconhecida pela população que vive na região. Embora o bairro tipicamente oriental paulistano seja a Liberdade, a maior concentração de pessoas que se definem como de etnia “amarela” está na Saúde. O dado está entre os preliminares do Censo 2010, divulgados esta semana pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.

Aliás, não é só a Saúde que tem forte colônia oriental – Vila Mariana, Jabaquara e Cursino também. Enquanto na Liberdade os japoneses e descendentes de orientais que se intitulam como da raça “amarela” totalizam 11.261 pessoas, no Jabaquara eles são 11.335; na Vila Mariana, 12.666 e na Saúde, o bairro campeão em orientais, são 17.706. No distrito Cursino, onde está incluído o bairro Jardim da Saúde,também de forte presença da comunidade japonesa, são outros 8.600 “amarelos”.

Vale ressalvar que, na Liberdade, a porcentagem de orientais, com relação ao total de moradores do distrito, é maior que em outros pontos da cidade: eles são 16,5% lá; enquanto na Saúde atingem 13,5%, na Vila Mariana 9,7%, no Cursino 8,7% e no Jabaquara 5%. Mas é significativo imaginar que pela região de Vila Mariana, Saúde, Jabaquara e Cursino se espalham mais de 50 mil japoneses e descendentes!

Maioria dos emigrantes paulistanos saiu da Vila Mariana para EUA e Europa

Se, por um lado, o Brasil é um país que foi construído por imigrantes e as marcas desta população estão em todo o país, por outro na atualidade sabe-se que muitos brasileiros estão tentando a sorte ou estudando em outros países. Esta foi a primeira vez que o IBGE investigou o país de destino de emigrantes brasileiros no exterior e São Paulo desponta como o estado que mais têm pessoas vivendo fora: um de cada quatro brasileiros no exterior é paulista. A maioria deles vive nos Estados Unidos.

E a região aparece forte nesta estatística: o distrito paulistano que mais “perdeu” habitantes para outras nações foi a Vila Mariana. Na época da realização do Censo, havia 1341 pessoas que antes moravam no bairro vivendo fora do Brasil. A maioria estava nos Estados Unidos – 354. Mas havia também moradores da região vivendo no Japão (118), Austrália (114), Inglaterra (107), Espanha (91), França (73), Portugal (45) e Itália (46), entre outros destinos.

Ex-moradores de bairros nobres da cidade despontam nesta estatística, como Itaim Bibi, Jardim Paulista e Moema. Mas, Saúde e Jabaquara não ficam atrás – pelo contrário, têm mais moradores fora do que Pinheiros, por exemplo. No Jabaquara, eles somam 999 pessoas e na Saúde são 1075! Em todos os casos, a maioria buscou os Estados Unidos como destino. Mas, vale ressalvar, que a Europa também é um destino muito procurado pelos brasileiros, embora eles estejam espalhados por diversos países do velho continente, em especial Portugal, Espanha e Inglaterra.

Segundo os resultados do Censo Demográfico, o número estimado de brasileiros residentes no exterior chegou a 491.645 mil em 193 países do mundo, sendo 264.743 mulheres (53,8%) e 226.743 homens (46,1%); 60% dos emigrantes tinham entre 20 e 34 anos de idade em 2010. Este resultado não inclui os domicílios em que todas as pessoas podem ter emigrado e aqueles em que os familiares residentes no Brasil podem ter falecido. O principal destino era os Estados Unidos (23,8%), seguido de Portugal (13,4%), Espanha (9,4%), Japão (7,4%), Itália (7,0%) e Inglaterra (6,2%), que, juntos, receberam 70,0% dos emigrantes brasileiros. A origem de 49% deles é a região Sudeste – São Paulo (21,6%) e Minas Gerais (16,8%).

3 comentários

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!