Jornal São Paulo Zona Sul

Recuperar “Margens do Ipiranga” é desafio coletivo até 2022

O rio cantado em Hino Nacional, relacionado à história do grito da Independência do Brasil, sofre há anos com obras. Nada plácidas, suas margens enfrentam enchentes, pistas asfálticas com problemas recorrentes, contam com imóveis abandonados e aspecto urbanístico deteriorado… E a água do rio, que nasce ali perto, dentro do bucólico e preservado Jardim Botânico, flui pelo corredor Ricardo Jafet/Abraão de Morais já poluída…

Mas, agora, ali estão sendo construídos dois piscinões pela Prefeitura, previstos e aprovados desde 2014 e prestes a serem concluídos. A promessa é de que essas obras vão evitar as recorrentes enchentes que atingem a região a cada verão.

Além disso, a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) está trabalhando na despoluição do Córrego Ipiranga, com a promessa de que ele estará limpo até 2022 – mesmo ano em que se celebrará o bicentenário da Independência do Brasil e em que deve ser reinaugurado o Museu do Ipiranga, obra que também conta com o patrocínio da Sabesp.

Essa semana, a empresa informou que já estão sendo encaminhados para tratamento cerca de 614 litros de esgoto por segundo.

Já foram investidos R$ 95 milhões nas obras de despoluição e a estimativa é de que esse trabalho vai beneficiar uma população de 271 mil habitantes no entorno.

Segundo a Sabesp, somente o envio para tratamento de 614 litros de esgoto por segundo atende 260 mil moradores dos bairros Ipiranga, Saúde, Jardim da Glória, Vila Mariana, Vila Monumento, Saúde, Jardim da Saúde, Água Funda, Vila das Mercês, Cidade Vargas, Vila Guarani, Vila Monte Alegre, Chácara Inglesa e proximidades.

O trabalho de despoluição executou 14 km de tubulações subterrâneas (Coletor-Tronco Ipiranga e coletores secundários), além da construção de redes coletoras, ligações e regularização de ligações de esgoto. Parte do trabalho ocorreu na comunidade Fazendinha, às margens da Rodovia dos Imigrantes.

A Sabesp agora investe na complementação de interligações, com aproximadamente 760 metros de extensão, finalizada em julho de 2020, e na execução do Coletor-Tronco Soares Avelar, de 900 metros de extensão, previsto para encerrar em dezembro de 2020. A Companhia também prepara a licitação para construção do coletor-tronco que vai receber e encaminhar para tratamento do esgoto que chega ao Córrego Cacareco, um afluente do Ipiranga.

O trabalho de expansão da infraestrutura para coleta e tratamento de esgotos na bacia do Córrego Ipiranga faz parte do Projeto Tietê, desenvolvido pela Sabesp desde 1992 e responsável pela redução da mancha de poluição do principal rio do Estado.

Com 12,5 km de extensão e uma bacia de 23,9 km², o Córrego Ipiranga deságua no Rio Tamanduateí, que por sua vez se encontra com o Tietê.

Comentar