Siga-nos

Coronavírus

Quem pode ou não trabalhar durante a quarentena?

Publicado

em

Até mesmo funcionários das subprefeituras têm dúvidas quanto ao que pode ou não funcionar durante a quarentena no Estado de São Paulo. Um mês depois do início do isolamento social com determinação para fechamento dos estabelecimentos comerciais, muitos lojistas, empresários, profissionais liberais e prestadores de serviços ainda têm dúvidas sobre os chamados serviços essenciais, aqueles que estão liberados para funcionar.

A internet só aumenta a confusão, com correntes de whatsapp e infográficos sem dados oficiais válidos.

Essa semana, o jornal São Paulo Zona Sul voltou a procurar a Prefeitura para tirar dúvidas. Confira!

Escritórios

Não podem funcionar, atendendo ao público. O funcionamento virtual até pode ser prestado de dentro da sede de cada escritório, mas não é recomendado. A recomendação é para que os funcionários atuem em casa, no chamado sistema de home office, garantindo que os funcionários não saiam de casa, não usem transporte público, não tenham contato próximo entre eles.

Vale para imobiliárias, escritórios de advocacia e contabilidade, agências de publicidade e criação etc.

Beleza

Clínicas de estética, depilação, de podologia, barbearias, salões de beleza, manicures, maquiadores – nada disso está autorizado a funcionar. A prestação de serviços em domicílio não é aconselhada.

Aparelhos de surdez, óticas e ortopedia

As lojas que vendem aparelhos de uso médico estão entre as exceções anunciadas, ou seja, podem funcionar. Como nos demais casos, aconselha-se a entrega dos itens em domicílio, mas a abertura das lojas é permitida.

Perfumaria

A Prefeitura diz que se forem lojas que oferecem produtos de higiene pessoal estão liberadas a funcionar. Mas pode haver fiscalização para garantir que são lojas com itens pessoais e não cosméticos e perfumes.

Prestação de serviços

Serviços de assistência técnica em informática, telefonia e segurança estão liberados, mas como emergenciais. Serviços de mudança, não.

Pet shop

Podem funcionar clínicas veterinárias e lojas com rações, medicamentos e outros produtos para pets. Os serviços de banho e tosa não estão liberados e não podem ser ofertados.

Saúde

Clínicas de odontologia, fonoaudiologia, consultórios médicos, odontológicos, psicológicos, estão todos liberados, mas vale lembrar que o atendimento virtual também é aconselhado e a telemedicina foi regulamentada.

O decreto ainda recomenda que os estabelecimentos liberados para operar – como supermercados, hospitais, call centers, farmácias e outros, especialmente aqueles que contam com muitos funcionários, estabeleçam horários alternativos de funcionamento – antes das 6h ou depois das 11h, para haver alternância de turnos e equipes menores, além de uso do transporte público não concentrado ao longo do dia.

Não há limite para número de clientes a serem atendidos por vez.

Vale ainda ressaltar que, obviamente, nenhum estabelecimento é obrigado a abrir as portas durante a quarentena.

Muitas óticas e perfumarias, por exemplo, estão optando por manter as portas fechadas, já que os comerciantes avaliam que o movimento seria baixo e o risco aos funcionários, alto.

Advertisement
2 Comentários

2 Comments

  1. Edi

    25 de janeiro de 2021 at 20:29

    Podologia não é da beleza mas saúde.

  2. NOELI FRANCO DA SILVA

    20 de março de 2021 at 11:39

    Concordo posologia é saúde e nao beleza

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados