Siga-nos

Saúde

Prefeitura vacina em escolas

Publicado

em

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) inicia, na próxima segunda-feira (21), uma busca ativa nas escolas municipais por crianças que ainda não se vacinaram contra a Covid-19. Embora seja das cidades que mais vacinou crianças no país, já atingindo marca de 70% nessa faixa etária, objetivo é intensificar a imunização do público infantil, com aplicação da primeira dose (D1) e da segunda dose (D2) para aqueles que já foram vacinados e cumpriram o prazo estipulado entre as doses.

A SMS destaca que a maioria das crianças na faixa etária de 5 a 6 anos concentra-se nas escolas municipais. As Unidades Básicas de Saúde (UBSs) já estão preparadas para realizar a imunização nas instituições de ensino da rede municipal e continuar com o atendimento nas unidades. A ação contará com o apoio de técnicos da Vigilância em Saúde da SMS, que são aptos a aplicar as vacinas.

As UBSs realizarão agendamento das ações de vacinação em conjunto com as escolas. As instituições de ensino fornecerão o termo de autorização para que os pais ou responsáveis encaminhem as crianças com o documento preenchido e o cartão de vacinação na data programada para a aplicação. Os pais interessados poderão acompanhar a vacinação.

As crianças de 5 anos, que são vacinadas exclusivamente com doses da Pfizer pediátrica, precisam esperar 56 dias ou oito semanas para a D2. Quem tem de 6 a 11 anos, e tomou a primeira dose da Pfizer também tem de aguardar esse mesmo intervalo. Para aqueles que tomaram Coronavac, o intervalo é de 28 dias.

Vale ressaltar que a SMS já realiza a busca ativa pelas crianças que ainda não se vacinaram, e que foi entregue aos pais e responsáveis pelos alunos uma cartilha que visa reforçar a importância da imunização infantil e os cuidados necessários para que as aulas presenciais ocorram de maneira segura.

A SMS informa que, até as 19h desta quarta-feira (16), 780.859 doses de vacina contra a Covid-19 foram aplicadas em crianças de 5 a 11 anos. Com isso, 72,1% desse público já está imunizado com a primeira dose (D1).

Terceira Dose

Para adolescentes, ainda não há previsão de aplicação de terceira dose – ou dose de reforço – no país. Mas, vale destacar que, desde o dia 11 de fevereiro, os adolescentes de 12 a 17 anos com imunossupressão, inclusive gestantes e puérperas desta faixa etária, estão elegíveis para a dose adicional.

Neste momento, estão elegíveis para a dose adicional os adolescentes imunossuprimidos que tomaram a segunda dose da Pfizer há pelo menos oito semanas (56 dias). E para a segunda dose adicional, o jovem precisa ter tomado a primeira dose adicional de Pfizer há pelo menos quatro meses (122 dias).

Para poder se imunizar, esse grupo precisa apresentar comprovante de vacinação (físico ou digital) e comprovante de condição de risco (exames, receitas, relatório ou prescrição médica físicos ou digitais), contendo o CRM do médico e com até dois anos de emissão.

Vale lembrar que continuam elegíveis para a segunda dose adicional (ou “quarta dose”) as pessoas com alto grau de imunossupressão acima de 18 anos que tomaram a primeira dose adicional há pelo menos quatro meses, independentemente do imunizante aplicado.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

© 2022 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados