Jornal São Paulo Zona Sul

Piscinões vão evitar enchentes na Ricardo Jafet e Abraão de Moraes?

Como será a próxima estação das chuvas? O corredor formado pelas avenidas Ricardo Jafet/Professor Abraão de Morais vai voltar a ficar alagado? Meteorologistas dizem que o mês de outubro será marcado por intensas e volumosas chuvas, o que pode ser um teste para uma obra cuja história teve início em 2014, com a promessa de investimentos federais para construir dois piscinões junto ao Córrego do Ipiranga. A verba demorou a vir, as licenças demoraram a sair e só em dezembro passado os dois piscinões já começaram a operar. Ainda assim, ainda está em execução a instalação da energia e os canais de ligação entre os dois reservatórios. Segundo a Prefeitura, as obras serão concluídas neste semestre.

Com capacidade para armazenar, juntos, 200 mil metros cúbicos de água, os reservatórios já vem auxiliando, de acordo com a Secretaria de Infraestrutura e Urbanismo (Siurb) no combate às recorrentes enchentes da região.
Quem passa pela região também já deve ter percebido que as obras continuam em ritmo intenso e vão além do viaduto Aliomar Baleeiro, onde foram construídos os piscinões. É porque o projeto previa uma segunda etapa – agora em execução – para construção do chamado Piscinão Lagoa Aliperti, já na pista da Rodovia dos Imigrantes, em seu trecho urbano.

As obras ali foram iniciadas em setembro de 2019 e a previsão é concluir as obras ainda em 2020. Ele está localizado na Rua José Bento Ferreira e terá capacidade para armazenar 110 mil m³ de água..

Tribunal de Contas

Ainda na região, outro ponto tem alagamentos históricos – como também é histórico o projeto para resolvê-lo.
As obras de readequação do Córrego das Éguas e Paraguai vem sendo inseridas no Orçamento Municipal há quase dez anos. Os dois córregos, que hoje estão canalizados e subterrâneos, se encontram na Avenida Ascendino Reis, junto ao prédio do Tribunal de Contas do Município, região que fica alagada e já destruiu muitos carros.

A Prefeitura havia anunciado que as obras ali teriam início em março desse ano. Mas, até agora, só há tapumes envolvendo a praça ali existente – a Juca Mulato, e nenhum sinal de obras.

Segundo Siurb, o projeto executivo necessário está em fase de aprovação e a obra precisou ser adiada. A SIURB alega que aguarda a finalização do Termo de Compromisso Ambiental (TCA) que precisou passar por ajustes, após a finalização, o TCA será encaminhado para aprovação junto à Secretaria do Verde e do Meio Ambiente. A previsão é que obra seja iniciada em setembro e irá se estender por 17 meses.

A Praça Juca Mulato havia sido reformada em 2018, ao custo de R$ 200 mil, valor que foi patrocinado por uma incorporadora imobiliária que se responsabilizaria, igualmente, pela manutenção pelo prazo de três anos. Questionada, a Secretaria de Infraestrutura Urbana informou que o piscinão a ser construído será fechado e, desta forma, a área verde da praça será recomposta ao final das obras.

1 comentário