Siga-nos

Ecourbis

Parques têm pontos de descarte de óleo usado

Publicado

em

O resíduo de cozinha é um dos maiores poluentes da rede de esgoto, pois ao ser descartado na pia, pode causar entupimento dos encanamentos, atraindo ratos e baratas para o local. Além da poluição, o descarte do óleo usado pela rede de esgoto causa até problemas de trânsito! O entupimento da tubulação urbana causa interdições  para consertos, sem falar nos custos de todas essas obras e manutenções…

Mas, todo mundo pode contribuir para que esse resíduo gerado nas casas rotineiramente não represente custos ou danos à cidade. E é muito fácil: a Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria do Verde e do Meio Ambiente (SVMA), tem parceria com o Instituto Triângulo que coletou, em 2021, 1,7 milhão de litros de óleo de cozinha que se transformaram em 155 mil barras de sabão biodegradável e 1,5 milhão de litros de biodiesel.

Parte do óleo vegetal foi recebido em 34 pontos de coleta em parques municipais. São Paulo foi a primeira cidade do mundo aceita pela Rede Mundial de Economia Circular, que objetiva criar oportunidades que beneficiam a sociedade e o meio ambiente a partir da eliminação dos resíduos e da poluição, do prolongamento da vida útil dos produtos e da regeneração dos ecossistemas naturais.

O óleo de fritura recolhido para reciclagem é transformado em sabão, que fica disponível gratuitamente para a população nos pontos voluntários de entrega.

Segundo dados da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), o consumo no país está em torno de três bilhões de litros ao ano e a estimativa é que, de cada quatro litros consumidos, um seja descartada de forma incorreta, o que representa mais de 700 milhões de litros ao ano lançados no meio ambiente sem o devido cuidado e controle.

Um litro de óleo é capaz de contaminar até 25 mil litros de água. Em rios, lagos e mares, o óleo forma uma camada de gordura que impede a passagem da luz do sol, diminuindo o oxigênio e causando morte de peixes e da vegetação aquática.

Como descartar

O descarte correto do óleo de cozinha é feito por meio da garrafa pet. A reciclagem do produto é uma saída sustentável ao problema. Existem diversas finalidades para o óleo de cozinha usado. Entre elas está a produção de resina para tintas, sabão, detergente, glicerina, ração para animais e até biodiesel.

O descarte do óleo pode ser feito em pontos de coleta instalados nos parques municipais por meio de uma parceria entre a SVMA e o Instituto Triângulo. O material recolhido é redistribuído para a usina do Instituto, que faz a reciclagem do material, transformando a gordura em sabão, que fica disponível para a população nos pontos de entrega voluntários.

O processo de reciclagem também demanda muitos funcionários, o que dá oportunidade para jovens da comunidade local de conseguirem empregos com carteira assinada.

Coleta

Confira a lista dos parques municipais que fazem a coleta e leve sua garrafa PET com óleo no ponto mais próximo:

  • Parque Aclimação
  • Parque Alfredo Volpi
  • Parque Barragem de Guarapiranga
  • Parque Chácara das Flores
  • Parque Cidade de Toronto
  • Parque Colina de São Francisco
  • Parque Cordeiro – Martin Luther King
  • Parque Ecológico Central do Itaim Paulista
  • Parque Ecológico Prof. Lydia Natalizio Diogo – Vila Prudente
  • Parque Guanhembu – Benedicta Ramos Caruso
  • Parque Independência
  • Parque Jacintho Alberto
  • Parque Jardim da Luz
  • Parque Jardim Herculano
  • Parque Lina e Paulo Raia
  • Parque Linear Mongaguá
  • Parque Linear Ribeirão Cocaia
  • Parque Linear São José
  • Parque Lions Tucuruvi
  • Parque Luis Carlos Prestes
  • Parque M’Boi Mirim
  • Parque Nabuco
  • Parque Piqueri
  • Parque Previdência
  • Parque Raposo Tavares
  • Parque Rodrigo de Gásperi
  • Parque Santa Amélia
  • Parque Santo Dias
  • Parque São Domingos
  • Parque Severo Gomes
  • Parque Shangrilá
  • Parque Tenente Siqueira Campos – Trianon
  • Parque Trote/Vila Guilherme
  • Parque Vila dos Remédios
Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

© 2022 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados