Jornal São Paulo Zona Sul

Obras já se estendem por nove meses no Viaduto Dante Delmanto

No final de janeiro, a CET e o Metrô anunciaram que o viaduto Dante Delmanto, no Jabaquara, ficaria interditado por sete meses.
A obra seria necessária por conta da reestruturação e reforço estrutural do viaduto, por onde passam os trens do metrô, entre as estações São Judas e Conceição. Estavam previstas a substituição integral da pista de rolamento e passarelas laterais de pedestre, reforço de estruturas com fibra de carbono, além de serviços de impermeabilização e tratamento do concreto aparente.

Mas, quem passa por lá, no trecho estreito da pista que continua liberado para os carros, tem a impressão de que a obra ainda está longe de ser concluída, apesar de já terem se passado nove meses, ou seja, dois além do previsto.

O trânsito, na região, já é normalmente complicado, em especial nos horários de rush. Com a obra, as quatro faixas de rolamento, duas por mão de direção, foram reduzidas pela metade e a mão dupla mantida. O trânsito de pedestres foi mantido em todas as etapas da obra.

Procurado, o metrô respondeu que as obras de manutenção preventiva do viaduto Dante Delmanto deverão ser concluídas em novembro. Com isso, a pista que hoje encontra-se interditada também será liberada para o tráfego de veículos.

O metrô pondera que já foram concluídas as obras de reforço estrutural, que chegaram a interditar faixas da Avenida Afonso D’Escragnole Taunay (continuidade da Avenida dos Bandeirantes).
Também já terminaram as obras de tratamento e concretagem da pista, restando finalizar as obras do sistema de drenagem do viaduto, de pintura das faixas de rolamento e algumas atividades complementares.

De acordo com o metrô, o atraso se explica por por ser uma obra complexa. “Foram necessárias adequações na execução da obra, reprogramando a previsão inicial de liberação da pista”, conclui a nota. A obra acontece em uma época em que estão sendo levantadas dúvidas sobre a manutenção e segurança de viadutos e pontes na cidade de São Paulo.

Várias alterações viárias foram implantadas durante o período de obras, como a implantação de um conjunto semafórico no cruzamento da Avenida Engenheiro Armando de Arruda Pereira com a Avenida Pedro Severino Junior e implantação de mão única de direção nesta avenida entre a Rua Caviana e a Avenida Engenheiro Armando de Arruda Pereira, nesse sentido.

Foi também proibido o estacionamento de veículos na Avenida Engenheiro Armando de Arruda Pereira, entre a Rua Guatapará e o Viaduto Jabaquara.

Embora procurada sobre o atraso nas obras, a CET não explicou se as alterações serão canceladas após a liberação completa da pista. E embora tenha anunciado que acompanharia as interdições com orientações aos motoristas, atualmente não há equipes, apenas sinalização na área.

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!