Jornal São Paulo Zona Sul

Obras da UPA Vila Mariana são finalmente retomadas

A Unidade de Pronto Atendimento da Vila Mariana havia sido prometida para 2016… Mas poucos meses depois de terem sido iniciadas foram paralisadas e até hoje apenas uma estrutura abandonada de concreto está ali, na esquina das ruas Diogo de Faria e Botucatu, na Vila Clementino.

Essa semana, entretanto, as obras foram retomadas e a promessa é a de entrega ainda esse ano. Pelo menos, foi essa a promessa feita no ano passado, durante coletiva do secretário Municipal de Saúde, Edson Aparecido. Mas, ao anunciar a retomada, essa semana, o prefeito disse que a previsão de conclusão é para 2021 – resta torcer que não sejam paralisadas depois das eleições municipais, previstas para outubro.

Houve até evento com direito à presença do prefeito e dos secretários Edson Aparecido e de Infraestrutura Urbana e Obras, Vitor Aly para marcar a retomada dos trabalhos não só na Vila Mariana coo em outras quatro unidades na cidade.

As UPAs são mais equipadas que as Unidades Básicas de Saúde e se destinam a atender casos intermediários, estabilização de quadros de saúde dos pacientes e realização de diagnósticos iniciais. Desta forma, o objetivo é aliviar a demanda nas Assistências Médicas Ambulatoriais (AMAs) e os equipamentos hospitalares na cidade.

A UPA Vila Mariana e as demais farão parte da Rede de Atenção às Urgências, em diferentes regiões de São Paulo, atendendo com portas abertas, 24 horas, todos os dias. Contam com pelo menos 15 leitos de observação, com capacidade de atendimento médio de 350 pacientes por dia.

“Este equipamento deverá atender de 200 a 300 mil pessoas e poderá ajudar quem depende do SUS para sobreviver”, afirmou o prefeito Bruno Covas.

Estrutura

As construções serão realizadas por empresas licitadas pela Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB). As construções estão inseridas no Programa Avança Saúde SP, resultado de acordo entre a Prefeitura e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

A UPA Vila Mariana contará com 1.933 m² de área construída, sete leitos de urgência, seis consultórios médicos, 14 leitos de observação adulto, quatro leitos de observação infantil, duas salas de isolamento, um consultório odontológico, sete poltronas de inalação, duas salas de avaliação, salas de ortopedia, raio x, medicação, sala para coleta de exames, de gesso, saturação e esterilização, além de farmácias e áreas administrativas. A unidade terá sistema de aquecimento solar e utilização e água de reuso. Para conclusão das obras serão investidos R$ 4.797.779,78 de recursos municipais.

Lá atuarão profissionais clínicos, cirurgiões, ortopedistas e pediatras, além de enfermeiros, coordenadores na área médica e enfermagem, técnicos de farmácia, gesso e enfermagem, farmacêuticos, assistentes sociais e funcionários da área administrativa.

Comentar