Siga-nos

Ecourbis

Na pandemia, coleta seletiva teve aumento na cidade

Publicado

em

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Autoridade Municipal de Limpeza Urbana (AMLURB), fechou os dados de resíduos sólidos coletados em 2020 registrando recordes nos números de coleta seletiva. De janeiro a dezembro do último ano, foram coletadas 94.4 mil toneladas de resíduos secos passíveis de reciclagem – um aumento de 17,4%, comparado ao mesmo período do ano anterior.

Em praticamente um ano de pandemia, pôde-se observar que houve uma mudança no comportamento do paulistano em relação ao tratamento do resíduo. “Desde o início da pandemia, nós começamos a monitorar os dados de perto. Nessa quarentena, houve uma quebra de rotina, as famílias passaram a trabalhar e realizar as refeições em casa. Fato que, consequentemente, gera-se mais embalagens”, comentou o presidente da AMLURB, Edson Tomaz de Lima Filho.

Em análise dos dados no período da quarentena de 2020 – de março a dezembro, os resíduos provenientes da coleta seletiva aumentaram em 20%, quando comparados ao mesmo período de 2019. Ao todo, foram coletadas 61.4 mil toneladas de resíduos na coleta seletiva em 2019, já no último ano, foram coletadas 73.4 mil toneladas – um aumento de 12 mil toneladas.

“A autarquia também entende que a maior adesão dos paulistanos à reciclagem está ligada as iniciativas da Prefeitura em educação ambiental, como é o caso do Recicla Sampa”, completa o presidente da autarquia. Trata-se de uma campanha, lançada em 2019, para incentivar os munícipes a aderirem à coleta seletiva, instruindo o cidadão a separar o lixo em duas frações (comum e reciclável), além de informar sobre pontos de coleta, disponibilizar download de cartazes e uma série de conteúdos educativos em resíduos sólidos.

Vale ressaltar que durante a pandemia do novo coronavírus, a autarquia garantiu o funcionamento dos serviços públicos para o descarte dos recicláveis, como a coleta domiciliar seletiva, os 115 Ecopontos da cidade, assim como o funcionamento das duas Centrais Mecanizadas de Triagem da capital (Carolina Maria de Jesus e Ponte Pequena.

Em números – coleta seletiva por ano

+ 2019: 80.4 mil toneladas

+ 2020: 94.4 mil toneladas

Sobre a Amlurb

Desde 2002 entrou em vigor a lei número 13.478, na qual houve a criação da AMLURB – Autoridade Municipal de Limpeza Urbana, um órgão regulamentador encarregado pela gestão dos resíduos e limpeza urbana da cidade.

A autarquia é vinculada à Secretaria Municipal das Subprefeituras, da Prefeitura de São Paulo e presta serviços com o intuito de proporcionar melhor qualidade de vida aos munícipes.

Dentre os serviços públicos prestados, estão a conservação e limpeza dos bens de uso comum do Município, limpeza de áreas públicas em aberto, varrição e lavagem das vias, viadutos, praças, túneis e etc; capinação e roçada do leito de ruas, coleta de Resíduos Domiciliares até 200 litros, coleta de Resíduos da Construção Civil – RCC até 50 kg; coleta de Restos de Móveis e utensílios até 200 litros (Cata Bagulho), coleta de Resíduos de Serviços de Saúde e coleta Seletiva (Recicláveis).

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados