Siga-nos

Cultura

Museu do Ipiranga já tem cerca de 50% das obras concluídas

Publicado

em

Desde 2013, as portas do Museu mais famoso e mais visitado de São Paulo estão fechadas. E só irão reabrir quase dez anos depois – em setembro de 2022, quando se comemora o bicentenário da Independência.

Para que a meta se cumpra, há 250 pessoas trabalhando diariamente ali. Vale ressaltar que a obra em andamento no histórico prédio, que existe desde o final do século XIX, não vai apenas restaurar a fachada e garantir a segurança total da estrutura. O Museu, que é de responsaibilidade da Universidade de São Paulo, está sendo completamente reformulado.

Obras

No Edifício-Monumento, estão sendo executadas as etapas de higienização da fachada, recomposição de revestimento, instalações diversas e restauro de ornamentação. Também teve início a reforma do Salão Nobre, onde está a famosa tela “Independência ou Morte”, de Pedro Américo, que já passou pelo processo de restauração e agora está completamente embalada e protegida.

Já a construção do Edifício Ampliação – um espaço novo com 6.800 metros quadrados de área, que deverá abrigar auditório, café e lojas – avança nas etapas de escavação, movimentação de terra e concretagem.

Em visita às obras no final do ano passado, o reitor da USP, Vahan Agopyan, que também é engenheiro civil, fez questão de ressaltar que “esse projeto é um desafio fantástico. Primeiro, porque o Edifício-Monumento é uma grande obra de arte do século XIX e seu restauro exige o trabalho de verdadeiros artesãos. Segundo, porque a construção do novo espaço ampliado teve de ser muito bem planejada para não afetar nem prejudicar o edifício antigo”.

Uma sala modelo foi preparada para que os arquitetos e engenheiros tivessem uma visão geral das ações necessárias para a conclusão dos espaços e suas dificuldades, com o objetivo de diminuir os imprevistos nas fases de execução e acabamento. Nela são apresentados os modelos de elementos como assoalho, umbrais, caixilhos e luminárias.Depois de finalizada a restauração, essa será uma das salas expositivas ocupadas pela Museografia.

Passado e futuro

Inaugurado em 7 de setembro de 1895, como museu de História Natural e monumento à Independência do Brasil, o Museu do Ipiranga passou a integrar a USP em 1963.

Com duração de 30 meses, os trabalhos de restauração, modernização e ampliação do museu devem custar cerca de R$ 188 milhões e contam com patrocínios diretos e incentivados via Lei de Incentivo à Cultura.

Quando a obra estiver concluída, o edifício histórico – patrimônio tombado nas esferas municipal, estadual e federal do governo – será dedicado exclusivamente à visitação pública, com exposições e espaços para apreciação visual de sua arquitetura, acessibilidade, sustentabilidade e segurança, com equipamentos especiais para a prevenção de incêndios. Também haverá um novo espaço ampliado com sala de exposições temporárias, salas para atendimento do programa educativo, café, auditório e lojas, tornando-o compatível com os grandes museus internacionais.

Com informações do Jornal da USP, por Erika Yamamoto

Advertisement
1 Comentário

1 Comentário

  1. Pingback: Museu do Ipiranga já tem cerca de 50% das obras concluídas - ABGC

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados