Jornal São Paulo Zona Sul

Mulheres buscam transição capilar

Todo processo de transformação é maravilhoso. Mas pode ser doloroso e difícil, também. Não é nada simples decidir radicalizar, mudar, definitivamente. Os resultados, entretanto, trazem aquela sensação de vitória, de recomeço, de vida que merece ser vivida sem regras definitivas.

A opção pela transição capilar vai nessa linha. No passado, afrodescendentes eram estimuladas – quase impelidas, até – a alisar os cabelos desde muito cedo, desde a infância. Esconder o cacheado dos cabelos, porém, é uma obrigação que ficou pra trás. Claro que todos os tipos de tratamento, opções e cores continuam liberados. “O importante é a pessoa se sentir bem e ter consciência de suas opções”, diz Michelle Ceródio, hair stylist com mais de dez anos de experiência e que hoje comanda o salão Cut & Color, na região da Praça da Árvore.

“Mas é inegável que o processo constante de alisamento é caro, trabalhoso e prejudicial aos cabelos”, continua Rose Inoki, que divide o comando do salão e também atua como hair stylist há mais de uma década. “Assumir os cachos é muito bom, há inúmeras possibilidades de cortes e penteados. E, claro, a beleza negra se destaca”, conclui.

Elas contam que várias clientes têm buscado orientação para fazer a transição capilar, que é um processo. É preciso esperar o cabelo crescer. E para lidar com a diferença entre as raízes cacheadas e as pontas ainda lisas há opções de cortes e penteados que indicamos”, explica Rose. “ Mas o resultado final vale muito a pena”, completa Michelle.

Quer orientação? Planejar a transição capilar? Marque uma conversa com as profissionais da Cut & Color.

Serviço
Cut & Color Hair
Rua Caramuru, 431
Praça da Árvore
Agende seu horário pelo telefone: 2640-3660.

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!