Jornal São Paulo Zona Sul

Manhã de caos no metrô e no trânsito

Foto: Renan Fonseca/Reprodução Facebook

Uma falha no metrô e um protesto em frente ao Parque do Ibirapuera vêm causando grandes transtornos desde a manhã dessa terça-feira, 3 de março.

Também há complicações por conta de interdição da Via Anchieta.

Metrô

A situação no metrô paulistano agora está mais tranquila, mas os paulistanos enfrentaram dificuldades nas primeiras horas da manhã por conta de uma falha em equipamento de via na região de Jd. São Paulo.

Trens da Linha 1-Azul circularam com velocidade reduzida e maior tempo de parada.

A falha provocou filas, formadas a partir da restrição no acesso das estações por questões de segurança. E embora o problema tenha sido na Linha 1, houve também superlotação na linha 2 – Verde, linha 5 – Lilás e a Linha 3 também operou com restrição de acesso dos passageiros, gerando enormes filas, plataformas lotadas e até do lado de fora das paradas havia multidões.

Fotos: Dani Falasca, Van Liberato, Giovani Luna, Helena Santana, Mariana Moralez, Luiz Antonini

 Linha Prata

As complicações foram ainda maiores porque a Linha 15-Prata segue fechada nessa terça (03), para que as empresas Bombardier e o consórcio CMEL, fornecedores da estrutura e trens do monotrilho, identifiquem a razão dos problemas detectados em pneus que, segundo o metrô, são de responsabilidade dessas empresas – que contruíram e operam a linha.

A medida foi tomada por precaução e o Metrô está acompanhando os trabalhos, além de cobrar urgência na solução do problema, para que a linha volte a funcionar.

Durante esse período, os ônibus do sistema PAESE continuarão atendendo gratuitamente os passageiros entre São Mateus e Vila Prudente, das 4h40 à 0h.

Ontem, os usuários da linha enfrentaram problemas porque havia poucos ônibus e os pontos ficaram lotados. Para esta terça, o Metrô solicitou à SPTrans o aumento de 50 para 60 ônibus articulados, que juntos têm capacidade de atendimento similar aos 12 trens que prestavam serviço regularmente na Linha 15.

Não há previsão de normalização da linha.

Protesto na Vila Mariana

Já na região da Vila Mariana e Parque do Ibirapuera, há reflexos no trânsito por causa de um protesto de servidores públicos estaduais na Assembleia Legislativa. Ali, aconteceram debate e votação sobre alterações na Previdência em nível estadual. O projeto do Executivo foi aprovado.

Servidores chegaram logo cedo em vários ônibus que foram estacionados no entorno. No final da manhã, a situação se complicou com o fechamento da Avenida Pedro Álvares Cabral pela Companhia de Engenharia de Tráfego. Ali, havia enfrentamento entre os participantes do protesto e a Polícia Militar – o Batalhão de Choque foi chamado e havia confronto com bombas de gás lacrimogênio.

O governador do Estado de São Paulo, João Doria, enviou para a Assembleia Legislativa, no dia 13 de novembro, dois projetos que tratam da reforma da previdência dos servidores estaduais. O primeiro é a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 18/2019. O segundo é o Projeto de Lei Complementar (PLC) 80/2019.

O objetivo da reforma, segundo justificativa do governo, é adequar a legislação à Reforma Previdenciária federal, além de buscar o equilíbrio financeiro e atuarial das contas do Estado.

Deputados como Carlos Giannazzi, do Psol, protestaram já em dias anteriores contra a convocação de sessões extras para a votação da reforma. Foram apresentadas 151 emendas na fase de pauta para o PLC 80 e 41 para a PEC 18. O PLC recebeu outras emendas depois que saiu das comissões. Já a PEC não poderá mais receber emendas.

Depois de aprovado em plenário pelos deputados, o PLC vai para a governador, que deve sancioná-lo. A PEC foi considerada aprovada depois dos dois turnos de votação. A Mesa da Assembleia a promulga e publica. Não é necessária a sanção do governador.

Anchieta/Imigrantes

As fortes chuvas que caíram sobre a baixada santista na última noite causaram  destruição nos municípios e provocaram, por enquanto, 12 mortes, mas já se registram 46 desaparecidos na região.
O caos na região gera também reflexos no trânsito e vários pontos de congestionamento foram registrados ao longo de toda manhã no sistema Anchieta Imigrantes.
No início da tarde, segundo a Ecovias tráfego fluía normalmente em direção a São Paulo pelo trecho de Serra da Rodovia dos Imigrantes, única opção dos motoristas que saem da Baixada neste momento. Isso porque a pista norte da via Anchieta permanece bloqueada no trecho por causa de queda de barreira.
A Rodovia Cônego Domênico Rangoni, sentido Guarujá, tem nesse momento somente excesso de veículos do km 265 ao km 263 formado por uma fila de caminhões localizados no acostamento do trecho, mas pela manhã houve quem ficasse parado no trecho por mais de sete horas.
A Rodovia Anchieta tem tráfego congestionado no Planalto, sentido Litoral, do km 31 ao km 40, e lento na Baixada, sentido Santos, do km 64 ao km 65, devido ao excesso de veículos e problemas causados pela chuvas em diferentes cidades da região.
A saída do Guarujá pela SP 248 também apresentou congestionamento, do km 8 ao km 5, devido alagamento.

 

 

 

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!