Siga-nos

consumidor

Mais de 55 mil clientes da Enel registraram queixas no Procon

Publicado

em

As filas continuam, a indignação também. Nas lojas da Enel na cidade, não é possível seguir a orientação para que as pessoas evitem aglomerações. Centenas de consumidores, todos os dias, têm buscado a empresa para questionar os altos valores cobrados nas contas de energia elétrica de junho e julho.

A empresa alega que, por conta da pandemia, o trabalho presencial de leitura foi suspenso. Até junho ou julho, as cobranças foram, então, feitas pela média. Segundo a empresa, o que explica o aumento em muitas das contas foi o fato de que as pessoas passaram mais tempo em casa, gastando mais, e essa diferença, acumulada ao longo de quatro meses, explicaria a cobrança mais alta.

A empresa ainda defende que durante a pandemia ofereceu a opção de autoleitura, ou seja, o próprio consumidor poderia fazer a leitura do relógio e enviar à Enel – mas a medida foi muito pouco divulgada.

Resultado: muitos consumidores permanecem indignados e dizem que o valor não se justifica. Nesta semana, o Procon-SP fechou um acordo com a Enel a fim de resolver as quase 55 mil reclamações registradas por pessoas que tiveram problemas com a empresa. Devido à situação de pandemia, a distribuidora de energia deixou de realizar leitura presencial dos medidores, optando por fazer as cobranças pela média de consumo, o que gerou faturamentos incorretos e transtornos aos consumidores.

O compromisso firmado com a empresa abrange todos os consumidores que já reclamaram ou vierem a reclamar no Procon-SP até o dia 31 de agosto e traz as seguintes mudanças:

Parcelamento de débitos

Nenhum débito (contas não pagas) precisa ser pago à vista, o parcelamento em 12 vezes sem juros será automático para os pagamentos em aberto, de contas com leitura até 31 de agosto. Antes do acordo, para conseguir o parcelamento de conta(s) questionada(s), o consumidor era obrigado pela concessionária Enel a admitir que a cobrança estava certa.

Corte de energia

Não será efetuado até que as contas sejam devidamente revisadas. Antes do acordo, caso o consumidor não pagasse os valores cobrados nas contas de junho e julho, a Enel, com autorização da agência reguladora ANEEL, poderia cortar o fornecimento de energia elétrica. O compromisso dá mais segurança para o consumidor aguardar a contestação da(s) conta(s) sem risco de corte de energia.
Informações adequadas

A Enel informará adequadamente cada consumidor sobre as cobranças questionadas. Antes do acordo, formaram-se filas de consumidores em várias lojas da distribuidora que buscavam informações a respeito dos valores das contas. Além das quase 55 mil demandas registradas no Procon-SP de janeiro até julho deste ano.
O Procon-SP ainda alerta que fiscalizará as contas questionadas. Os consumidores que estiverem com problemas ou dúvidas referentes às contas de energia da Enel podem reclamar no site ou app do Procon-SP.

A Enel, por sua vez, informou que continuará sem enviar avisos de corte de energia por inadimplência até o dia 31 de agosto. A empresa alega que a medida foi adotada para que os clientes tenham mais tempo para negociar o parcelamento das contas em aberto com a distribuidora, após a retomada da leitura presencial dos medidores. Após o recebimento do aviso de inadimplência, que virá impresso na conta de energia, o cliente terá ainda até 15 dias para negociar seus débitos, antes que o corte seja efetuado.

A Enel diz ainda que no caso dos clientes que entraram com solicitação no Procon-SP, o órgão emitirá uma autorização para que a companhia possa realizar o parcelamento automático, em até 12 vezes sem juros no financiamento, para todos os clientes que já ingressaram ou entrarem com pedidos no órgão de defesa do consumidor até o dia 31 de agosto e cuja solicitação envolva faturas lidas até 31/07/2020.

Para os clientes que eventualmente necessitem ir às lojas, a companhia vai oferecer, nos próximos dias, o atendimento com hora marcada. O cliente poderá agendar o horário de sua preferência pelo site ou pelo Call Center e, assim, evitar filas e aglomerações. As lojas também começaram a abrir aos sábados e estão funcionado, de segunda a sábado, das 8h30 às 16h30.

Advertisement
1 Comentário

1 Comentário

  1. Eliana Alves da Silva

    27 de agosto de 2020 at 14:12

    Muito triste essa situação. Estamos desempregados em casa não tinha nenhuma conta atrasada veio 525 reais em julho sem conta anexa. Depois veio 317 em agosto não consegui pagar claro né. É A Enel quer que a gente parcela sem rever as contas. Será possível tudo isso,?E não tem ninguém para nós ajudar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2020 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados