Siga-nos

Urbanismo

Liberado leilão do Aeroporto de Congonhas

Publicado

em

O aeroporto mais movimentado do país superou o último entrave para ser concedido à iniciativa privada. O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou essa semana o leilão do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, e de mais 14 terminais, que serão leiloados na 7ª rodada.

O Ministério da Infraestrutura pretende promover os leilões na primeira ou na segunda semana de agosto. Segundo a pasta, a concessão deve atrair R$ 7,3 bilhões em investimentos privados, com as obras de melhoria e de expansão dos terminais.

Os aeroportos serão divididos em três blocos. O primeiro, liderado pelo Aeroporto de Congonhas, tem outros dez terminais em três estados: Mato Grosso do Sul, Pará e Minas Gerais. Integram esse bloco os aeroportos de Campo Grande (MS), Corumbá (MS), Ponta Porã (MS), Santarém (PA), Marabá (PA), Carajás (PA), Altamira (PA), Uberlândia (MG), Uberaba (MG) e Montes Claros (MG).

O segundo bloco é composto pelos aeroportos Campo de Marte (SP) e Jacarepaguá (RJ), destinados a aviões de pequeno porte. O terceiro bloco engloba aeroportos de duas capitais da Região Norte: Belém e Macapá.

Ampliação

Em março, o Governo Federal entregou obras de melhoria no Aeroporto já antevendo o aumento da movimentação.

Uma das novidades é a ampliação da infraestrutura para permitir a operação internacional da aviação geral executiva em Congonhas, suspensas desde a década de 1980. Após receber R$ 2,5 milhões em investimentos, o terminal internacional da aviação executiva conta agora com instalações para a Polícia Federal, com escritório e salas de inspeção; alfândega da Receita Federal, incluindo área de catering e depósito de bens apreendidos; Vigilância Agropecuária Internacional (Vigiagro) e Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com salas de atendimento, higienização e confinamento.

O espaço dispõe ainda de lounge e instalações sanitárias para o conforto dos passageiros e o adequado desempenho das atividades.

Além disso, foram adquiridos novos equipamentos e houve, segundo o Governo Federal, renovação de estruturas que vão aumentar a segurança operacional do terminal aéreo e elevar o nível dos serviços prestados e permitir a retomada dos voos da aviação geral ao exterior.

A Latam já anunciou que aumentará em 35% o número de voos que opera em Congonhas.

O processo de concessão à iniciativa privada deverá estabelecer a empresa que vai administrar o aeroporto pelos próximos 30 anos.

Barulho

Associações defendem que os ruídos, poluição e riscos de acidentes provoacados por Congonhas devem ser reduzidos a partir de regras bem claras e fiscalização por parte da população. E estão reivindicando aos moradores da vizinhança, incomodados com o aumento já verificado de ruídos, que façam denúncias à Infraero.

A Infraero, por seu lado, alega que possui registros de comunicados feitos sobre o ruído aeronáutico no Aeroporto de Congonhas.  Diz ainda que a Infraero disponibiliza canal de comunicação específico sobre ruído aeronáutico que pode ser acessado pelo link:  www4.infraero.gov.br/meio-ambiente/ruido-aeronautico/

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

© 2022 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados