Siga-nos

Urbanismo

Leilão Água Espraiada foi um sucesso

Publicado

em

Em março, por determinação do Tribunal de Contas do Município, foi suspenso o leilão de Certificados de Potencial Adicional Construtivo da Operação Água Espraiada. Agora, finalmente, o leilão foi realizado e, segundo a Prefeitura paulistana, o resultado foi um sucesso além do esperado.

O leilão aconteceu na terça, 26 de julho, e arrecadou uma receita 41% maior à estimada inicialmente no leilão de CEPACs da OUCAE. No total, foram arrecadados R$ 512 milhões e esses recursos serão investidos em obras e serviços nos distritos de Jabaquara, Campo Belo, Itaim Bibi, Morumbi, Vila Andrade e Santo Amaro.

Neste 1º leilão da 6ª distribuição de CEPACs da OUCAE, realizado na sede da B3, foram vendidos todos os 160 mil CEPACs ofertados pelo Município no valor de R? 3.200 cada, um ágio de 41% sobre o preço inicial, que era de R? 2.261,72. Aos quatro minutos do leilão, a receita mínima inicialmente prevista para ser arrecadada pela Prefeitura já havia sido atingida.

O valor total captado nesta terça-feira permitirá a construção de conjuntos habitacionais, além de investimentos em obras de infraestrutura urbana e melhorias na região delimitada pela operação urbana. Assim, o Município assegurou a continuidade das intervenções no perímetro demarcado pela OUCAE, que completará 21 anos em dezembro.

Ao longo dessas duas décadas, a operação possibilitou a realização de importantes obras viárias na região como a Ponte Octávio Frias de Oliveira, mais conhecida como Estaiada, o Viaduto Dr. Lino de Moraes Leme e os prolongamentos das Avenidas Jornalista Roberto Marinho (Via Parque) e Chucri Zaidan.

O último leilão da OUCAE havia sido realizado em 2012. Em fevereiro deste ano, a SP Urbanismo anunciou a realização de novo leilão para a Operação Urbana Água Espraiada, mas a iniciativa foi suspensa em decorrência de cautelar do Tribunal de Contas do Munícipio (TCM). Após ajustes no Edital, o leilão foi retomado e agendado para esta terça-feira.

O Leilão da Operação Urbana Água Espraiada contou com a presença do secretário da SMUL, Marcos Gadelho; do secretário de SIURB, Marcos Monteiro e do presidente da SP Urbanismo, Cesar Azevedo.

Habitação Social

O investimento em moradias populares também marca os trabalhos de infraestrutura da OUCAE. Até o momento, o poder público municipal já entregou mais de 1,8 mil unidades habitacionais. A meta do Município é entregar mais 7,5 mil apartamentos de moradia popular até a conclusão da Operação Urbana.

Dessa forma, diversas famílias já foram contempladas com a construção de habitações de interesse social por meio dos residenciais Gutemberg, Corruíras, Estevão Baião, Pérola Byignton e Jardim Edite I e II.

Outros benefícios

A promessa da Prefeitura é de investir em três eixos principais: unidades habitacionais para abrigar as famílais que atualmente vivem em moradias irregulares ao longo do córrego, desenvolver ali um imenso parque linear e finalizar a Avenida Jornalista Roberto Marinho, ligando a Marginal Pinheiros à Rodovia dos Imigrantes, entre outras obras viárias.

Os benefícios não parariam por aí. A linha 17 – Ouro do Metrô, por exemplo, que já está atrasada em praticamente uma década, também deixou de ter um trecho constuído entre a estação Jabaquara do metrô e a futura estação Aeroporto de Congonhas do monotrilho justamente porque a avenida não saiu do papel e deve ser definitivamente também engavetado.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

© 2022 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados