Jornal São Paulo Zona Sul

Jovens da zona sul se qualificam no empreendedorismo em programa da Prefeitura de São Paulo

A Prefeitura de São Paulo iniciou nesta quarta-feira, 6 de fevereiro, a primeira turma do Fábrica de Negócios deste ano no Jardim São Luís, zona sul da capital. O curso de capacitação empreendedora promovido pela Ade Sampa, agência vinculada à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, conta com 21 participantes, sendo a maioria jovens.

“As aulas são desenvolvidas em duas fases com o objetivo de orientar os participantes, que muitas vezes já possuem a ideia de abrir um negócio, mas não sabem por onde começar. O Fábrica de Negócios oferece não só instruções sobre processos financeiros, clientes e mercado como também mostra a aplicação prática desses conceitos para transformar as ideias em empreendimentos viáveis”, comenta a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso.

A primeira fase, intitulada “Tenho uma ideia, e agora?”, tem o objetivo de estimular os participantes a trocar informações sobre suas ideias e fortalecer a rede de contatos. Além disso, os exercícios desenvolvidos ao longo do curso também auxiliarão os alunos a identificar oportunidades a partir de suas experiências e território, explorando suas ideias com mais clareza, a fim de construir um negócio consolidado.

A partir de uma metodologia prática na segunda etapa, chamada “Teste seu negócio pondo a mão na massa”, os jovens irão desenvolver seus MVPs – Produto Viável Mínimo e realizar a sua primeira venda, com base em ferramentas que ajudam o planejamento e a formulação de estratégias para negócios.

No ano passado, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho realizou cerca de 25 edições do Programa Fábrica de Negócios em diversas regiões da capital, capacitando 550 pessoas por meio da Ade Sampa – Agência São Paulo de Desenvolvimento. A pasta conta também com outras ações que promovem o empreendedorismo paulistano como oficinas em subprefeituras, programas de aceleração e cursos oferecidos nas cinco unidades do Teia, coworking público da Prefeitura localizado nas regiões periféricas da cidade.

Comentar