Siga-nos

História

Jornada abriu patrimônios históricos da cidade

Publicado

em

No Jabaquara, existe uma casa que foi originalmente construída no século XVII ou XVIII e tornou-se abrigo de um grupo de escravos fugidos da região central da capital. Hoje, o imóvel é considerado um patrimônio histórico da cidade.
O que muita gente não sabe sobre a Casa do Sítio da Ressaca (foto) é que, ao seu redor, ainda antes de seu tombamento ter sido decretado, houve escavações arqueológicas. Foram encontradas louças, metais, ossos de animais…
Todo este material poderá ser descoberto pelo público: foi apresentado em uma vitrine, dispostos de maneira a criar “movimento”, como em uma cena de refeição.
Esta foi apenas uma das dezenas de atividades previstas durante a Jornada do Patrimônio, que aconteceu dias 27 e 28 de agosto.
Foi a segunda edição do evento, promovido pela Secretaria Municipal de Cultura, desta vez com o tema “Origens da Cidade”. O programa prevê não apenas atividades e roteiros nos patrimônios gerenciados pelos órgãos públicos, mas também em alguns espaços particulares.
O Sesc estabeleceu parceria com a Prefeitura e houve, além de visitas aos imóveis históricos, oficinas, palestras, apresentações artísticas e até atividades para crianças. A agenda é tão diversificada e ampla que os amantes da história paulistana podem procurar por detalhes em www.jornadadopatrimonio.prefeitura.sp.gov.br/2016.
Inspirada nas Journées Européennes du Patrimoine, na França, e no Open House, em Nova York (openhousenewyork), nos Estados Unidos, a Jornada este ano terá atividades de arqueologia em oito casas históricas simultaneamente para mostrar ao público um pouco do valioso acervo arqueológico paulista. Além da Casa do Sítio da Ressaca, a Casa do Grito, no Ipiranga é outro endereço próximo para quem quiser conferir (fica dentro do Parque da Independência. Lá, duas vitrines complementaram a exposição “História de uma casa de pau-a-pique”. Uma vitrine compôs o momento de uma refeição com os objetos arqueológicos e a outra mostrou os objetos relacionados ao cotidiano.
Aconteceram também passeios pelos bairros do Bixiga, Brás, Luz, Aclimação e ao Parque Ibirapuera, onde haverá programação especial em três pontos especiais: Oca, Museu Afro Brasil e Pavilhão Japonês.
Artes
Na noite de sábado, 27, a Biblioteca Mário de Andrade promoveu a festa “A Intrusa”, com apresentação de repente entre os artistas Guto Lacaz e Antônio Cabral, seguida do debate “Silêncio, Ruído, Vigília e Esquecimento” com participação do artista Sergio Fingermann, Luiz Armando Bagolin, diretor da biblioteca, e a escritora Verônica Stigger. Para fechar noite, a discotecagem da festa fica por conta do filósofo Vladimir Safatle.
Já no dia 28, a Avenida Paulista recebeu diversas atividades voltadas para a família. Dentre elas, oficinas de argila, apresentação de Rodas de Choro e intervenções artísticas a partir das 10h. A intervenção artística Cidade das Crianças, da Companhia do Caju, aconteceu no vão livre do MASP e contou com diversas atividades de convivência, entre elas, oficinas de argila na qual as crianças tiveram a oportunidade de fazer esculturas inspiradas em prédios e monumentos da cidade.

Foto 11

Confira alguns destaques da programação em patrimônios da Vila Mariana e Jabaquara

A programação foi muito ampla e incluiu patrimônios no centro histórico mas também outros endereços espalhados pelos bairros da cidade.
Na Vila Mariana, destaque para a histórica da Casa Modernista e da Cinemateca. No Jabaquara, destaque para o Sítio da Ressaca.

Descubra os patrimônios históricos da Vila Mariana e Jabaquara

Casa Modernista
Construção: 1928 Autor do projeto: Gregori Warchavchik. Proprietário: Prefeitura de São Paulo. Tombada pelo Conpresp, Condephaat e Iphan.
A Casa Modernista da Rua Santa Cruz, de autoria do arquiteto Gregori Warchavchik, foi projetada em 1927 e construída em 1928, e é considerada a primeira obra de arquitetura moderna implantada no Brasil. O projeto original passou por uma reforma em 1935, quando Warchavchik procurou adequar a casa para família que crescia, ao mesmo tempo em que experimentava alterações na lógica da circulação e na composição dos volumes.
Visita guiada: inscrições educativomuseudacidade@gmail.com. Horário de funcionamento: sábado e domingo das 09h às 17h. Rua Santa Cruz, 325

Cinemateca Brasileira
Construção: final do séc. XIX. Autor da Obra: Alberto Kuhlmann
Implantada desde 1992, no antigo matadouro municipal na Vila Mariana, obra do arquiteto Alberto Kuhlmann, foi construída em 1884.A Cinemateca Brasileira utiliza os edifícios remanescentes do “núcleo histórico” do antigo Matadouro, restaurados e adaptados às suas atuais necessidades, tais como: centro de documentação, café, áreas de apoio, sanitários e salas de cinema e de eventos. Além das antigas edificações, no terreno de 40.000 m2, situado no largo Senador Raul Cardoso foram construídas outras instalações específicas das atribuições da Cinemateca: laboratórios de restauro de filmes, depósitos, arquivos de matrizes e áreas administrativas. No restauro do Galpão 3, foram mantidas as marcas do tempo, componente importante da história do edifício. O lanternim preserva a forma original e a cobertura tem o redesenho das tesouras de aço inspirado em soluções do sec. XIX. Os arcos têm batentes calandrados em aço e são vedados com vidros acústicos. A doca foi resgatada e remanescentes dos seus trilhos foram recuperados e expostos, sob o piso de vidro. As colunas da ponte rolante lá estão, intactas.
Visita livre no horário de funcionamento do prédio. Horário de funcionamento: sábado e domingo das 09h às 22h. Largo Senador Raul Cardoso, 207 – Vila Clementino

Sítio da Ressaca
Construção: 1719. Passou por reformas entre 1978 e 1979 – restauro no âmbito do projeto CURA Jabaquara. Tombado pelo Conpresp e Condephaat.
A casa do Sítio da Ressaca, construção do inicio do século 18, tem suas raízes vinculadas ao surgimento do bairro do Jabaquara. A casa foi sede de um sítio localizado nas proximidades do antigo caminho de Santo Amaro, que era banhado pelo córrego do Barreiro, também chamado Fagundes e Ressaca. Faz parte do Museu da Cidade de São Paulo que é constituída por uma rede de casas históricas.
Visita guiada: inscrições no local ou pelo email educativomuseudacidade@gmail.com. Horário de funcionamento: sábado e domingo 09h às 17h. Rua Nadra Raffoul Mokodsi, 3 – Jabaquara.

Foto 12

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2020 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados