Siga-nos

Saúde

Hospital da Vila Santa Catarina terá cirurgias bariátricas pelo SUS

Publicado

em

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, disponibilizará à população, a partir da segunda quinzena de outubro, o Programa de Combate à Obesidade. O programa prevê a realização de cirurgias bariátricas nos hospitais municipais Gilson de Cássia Marques de Carvalho (na Vila Santa Catarina, Zona Sul) e no Hospital Vereador José Storopolli (na Vila Maria, Zona Norte).

O programa prevê 60 atendimentos mensais, sendo 30 em cada hospital. A iniciativa inclui avaliação pré-operatória, cirurgia e acompanhamento pós-operatório. O programa contará com o investimento mensal aproximado de R$ 1 milhão.

A obesidade mórbida teve um aumento importante de sua prevalência ao longo dos últimos anos, tanto no Brasil quanto em outros países do mundo. Ela também é um dos fatores de risco da covid-19.

Combate à Obesidade

Para o combate à obesidade, a Área Técnica de Saúde Nutricional da rede municipal de Saúde trabalha em programas e ações para promover a melhoria das condições nutricionais da população, com o objetivo de reduzir os impactos da má nutrição na saúde e na qualidade de vida das pessoas.

Dentre esses programas desenvolvidos na rede pública municipal, destaca-se a Educação Alimentar Nutricional para Promoção à Saúde, referenciada pela Organização Municipal da Saúde.

Trata-se de uma parceria entre as Secretarias Municipais da Saúde e da Educação, com o objetivo geral de “promover educação alimentar e nutricional de escolares da Rede Pública Municipal de Educação de São Paulo”.

As ações começam pelo desenvolvimento de uma abordagem integral, capaz de prevenir e tratar agravos nutricionais como: subnutrição, obesidade, doenças crônicas não transmissíveis, entre outras, além da avaliação e monitoramento da condição nutricional dos alunos e estímulo à prática de atividade física.

Na primeira fase do programa, realizada na região Leste de São Paulo, foram avaliados 2.214 indivíduos, dos quais 35% das meninas e 30% dos meninos apresentaram excesso de peso.

Foram desenvolvidas ações de educação nutricional e promoção de hábitos alimentares saudáveis com o público avaliado, atualmente em curso. O projeto está em processo de expansão para outras regiões do município.

Antigo Hospital Santa Marina

O Hospital Vila Santa Catarina começou o atendimento à população em 2015, como o primeiro de alta complexidade da rede municipale estima-se que 2,6 milhões de pessoas.

O atendimento no local foi iniciado após um longo processo que envolveu a compra, reforma e equipagem do antigo hospital particular Santa Marina. A ideia de aquisição e reativação do hospital, fechado pela iniciativa privada em 2011, foi uma sugestão da comunidade local.

O nome do novo hospital, também escolhido pela comunidade, homenageia o médico pediatra Gilson de C. Marques de Carvalho, um dos idealizadores do Sistema Único de Saúde no Brasil, morto em 2014, aos 68 anos.

O hospital foi oficialmente inaugurado em dezembro de 2015, mas desde junho a unidade já prestava atendimentos. O hospital conta com 30 leitos de Clínica Médica e oito de UTI Adulto, para retaguarda da UPA Vila Santa Catarina.

Conta também com maternidade, com três salas no centro obstétrico, três salas de parto natural, pronto-socorro obstétrico com três consultórios, três leitos de observação, 11 leitos na UTI Neonatal (um de isolamento), 12 leitos na Unidade de Cuidados Intermediários (oito convencionais e quatro canguru), vacina, cartório, enxoval (Rede Cegonha) e triagens (neonatal, orelhinha e coraçãozinho).

O equipamento tem ainda com Banco de Sangue, Unidades de Terapia Intensiva adulta e neonatal. A estimativa é que a unidade realize, por ano, 14 mil internações. Também estão disponíveis serviços como laboratório de patologia clínica e cirúrgica, hemodinâmica, ecocardiografia, endoscopia, exames por imagem (radiologia, ultrassonografia, tomografia computadorizada e ressonância magnética) e diálise.

O Hospital ainda disponibiliza vários serviços de diagnóstico como laboratório clínico e imagem (endoscopia, ultrassonografia, ecocardiografia, tomografia computadorizada e ressonância nuclear magnética), ambulatórios de especialidades clínicas, oncologia e cirurgia, além de internação para pacientes pediátricos e adultos. São realizados cerca de 18 mil atendimentos por mês.

O Ambulatório do Programa de Transplantes (APT) do novo hospital tem capacidade para realizar três mil atendimentos mensais de triagem, acompanhamento pré e pós-transplante.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2020 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados