Siga-nos

História

Ginásio será tombado?

Publicado

em

Constâncio Vaz Guimarães

O Instituto do Patrimônio Histórico Nacional – IPHAN – determinou que todo o complexo esportivo do Ibirapuera seja temporariamente tombado como patrimônio histórico.

A decisão não é definitiva, mas impede que qualquer obra ou alteração seja feita no conjunto enquanto não houver análise completa do processo que prevê a preservação do espaço.

O processo de tombamento foi iniciado há quase um ano, a partir de mobilização da comunidade de Vila Mariana, que discorda da proposta do Governo do Estado de São Paulo, que prevê concessão por 35 anos, com completa transformação do Conjunto, incluindo demolições de várias de suas estruturas atuais.

O Governo do Estado tem 15 dias para recorrer da decisão e defende que não há interesse arquitetônico ou histórico para preservar o Conjunto nos moldes atuais.

A proposta de concessão autoriza a demolição do Ginásio do Ibirapuera, a mesmo tempo em que determina a obrigação de que seja construída uma “arena multiuso” com capacidade para até 20 mil pessoas. Professores da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP explicam que o edital prevê uma arena multiuso coberta para 20 mil pessoas no lugar do estádio de atletismo, e a transformação do ginásio do Ibirapuera em shopping center.

Os críticos defendem que o Ginásio do Ibirapuera “deve ser protegido por questões estilísticas e construtivas, mas também pela sua importância dentro da arquitetura moderna brasileira e da modernização do esporte e da cultura da cidade de São Paulo em meados do século XX”. Outra crítica ao projeto é de que estava previsto o tombamento do Ginásio, como patrimônio histórico e arquitetônico da cidade, mas essa semana, o proposta foi rejeitada pelo Condephaat – Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo.

Shopping e Hotel

O vereador Eduardo Suplicy (PT) também já se manifestou contrário ao projeto.

“Haveria a transformação do histórico Ginásio do Ibirapuera em um shopping, o local da pista de atletismo que também serve para a prática de rugby e futebol se transformaria numa arena esportiva e de eventos e haveria ainda a construção de três torres, uma torre de apart-hotel, uma torre de hotel e outra de escritórios, todos sobre o magnífico centro aquático e o alojamento de atletas do complexo” aponta o parlamentar. “A cidade de São Paulo tem 53 shoppings operantes, enquanto conta com cerca de 7 ginásios poliesportivos, sendo o Ginásio Ibirapuera aquele de maior porte e relevância histórica e arquitetônica. O projeto foi idealizado pelo arquiteto e atleta olímpico Ícaro de Castro Mello”, completa.

O Governo do Estado, entretanto, defende também que a concessão não altera a função principal, que é esportiva e que o conjunto passaria a contar com uma arena multiuso moderna, com capacidade para eventos, o que não acontece atualmente”

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados