Siga-nos

Ecourbis

Geração de resíduos: o tempo todo

Publicado

em

Não tem jeito: a vida moderna exige um ritmo acelerado e impõe necessidades básicas que resultam em consumo. E consumo, inevitavelmente também, termina em resíduos.

Mas, é dever de todos nós estarmos atentos a esse processo e contribuirmos da forma que cabe a um: gerando menos lixo ou resíduos, reaproveitando o que for possível e evitando o consumo de supérfluos, além de encaminhar todo material reciclável para a coleta seletiva.

O cidadão ainda pode contribuir estando atento ao sistema de limpeza pública, o que dá uma noção bem clara da complexidade e da estrutura envolvida. É um trabalho sem pausa: 24 horas por dia, de segunda a sábado, o ano todo.

Metrópole

O serviço de coleta domiciliar comum porta-a-porta está presente em 100% das vias, cobrindo os 96 distritos do município de São Paulo e conta com aproximadamente 6 mil funcionários e 555 veículos.

Diariamente, a cidade de São Paulo coleta 12 mil toneladas de resíduos domiciliares, cerca de 360 mil toneladas/mês.

A cidade ainda recolhe, por dia, mais 8 mil toneladas de resíduos pelas ruas, bueiros, praças, beiras de córregos… No total anual, são quase 80 mil toneladas de resíduos coletados em serviços de zeladoria.

Pensou que termina aí? Não, há também os Resíduos de Saúde, que precisam de tratamento e destinação especial. É o chamado “lixo hospitalar”, ou material retirado de hospitais, clínicas, farmácias, veterinários, consultórios médicos e odontológicos… No total, são cerca de 40 mil toneladas por ano desse tipo de resíduo na cidade.

E ainda há lixo eletrônico (baterias, celulares, eletrodomésticos, televisores), resíduos especiais (entulho, gesso, lâmpadas, pneus), restos de jardinagem e poda, restos de feiras livres, “bagulhos” (colchões, móveis, estofados)…

Para cada tipo de resíduo, há um serviço especial e uma destinação correta.

Assim, vale lembrar que nas 24 horas do dia nós também estamos gerando, de alguma forma, resíduos – seja no curto prazo, com o consumo de alimentos e lixo cotidiano doméstico, seja no longo prazo, com produtos duráveis como colchões, pneus, roupas, aparelhos diversos…

Destinação

O lixo e os resíduos que moradores, comerciantes, turistas, empresas, trabalhadores da capital geram diariamente na capital precisam de destinação correta.

Diferente de outros municípios do país, São Paulo há décadas já conta com aterros sanitários, ou seja, não há lixões a céu aberto na capital.

Atualmente, o lixo doméstico é destinado à Central de Tratamento de Resíduos Leste, no bairro de São Mateus. O CTL Leste é operado pela Ecourbis Ambiental, mesma concessionária responsável pelos serviços de coleta de lixo domiciliar comum, coleta seletiva e coleta de resíduos de saúde.

A Ecourbis também opera a Central Mecanizada de Triagem Carolina Maria de Jesus, que faz separação dos recicláveis enviados pelos munícipes das mesmas zonas sul e leste por meio da coleta seletiva.

Atualmente, conclui a reforma completa e modernização do transbordo Vergueiro, na divisa entre Vila Mariana e Ipiranga. O transbordo é o local onde os caminhões que fazem a coleta doméstica deixam os resíduos coletados, até que jamantas os reúnam em volumes maiores para o transporte e descarte definitivo no CTL Leste.

24 horas/dia

Para conseguir atender a 100% dos domicílios na capital – inclusive aqueles em comunidades, por meio de coleta feita a pé – um completo sistema de remoção, coleta, transporte e destinação funciona praticamente de forma ininterrupta.

Só no agrupamento Sudeste, área que a Ecourbis atende, são aproximadamente sete mil toneladas de resíduos domiciliares coletados todos os dias. Para que esse trabalho seja bem feito, são quase 3 mil profissionais, entre motoristas e coletores, e mais de 500 equipamentos, como caminhões compactadores e carretas, além dos tratores no aterro sanitário.

Os serviços são prestados durante 24 horas, de segunda a sábado, já que a coleta ocorre tanto nos períodos diurno quanto noturno e a operação nos transbordos e aterro acontecem sem intervalos ou interrupções. Isso significa que há todo um planejamento para que tudo funcione de forma orquestrada, para não haver falhas.

O resultado é que o lixo depositado nas calçadas é periodicamente removido da frente de sua casa ou do seu condomínio, corretamente transportado e aterrado em terreno que será monitorado para não poluir a cidade.

Cidadania

Essa complexa operação é prejudicada, entretanto, quando o morador deixa de cumprir sua parte. São medidas simples que, se renegadas, comprometem a qualidade limpeza pública. São elas:

– Acondicionamento correto: se o munícipe usa um saco muito frágil ou não amarra corretamente, o lixo pode se espalhar pela ação de animais, vândalos, ou mesmo por arrebentar no momento da coleta. Nesses casos, o coletor em geral precisam retardar o processo da coleta para varrer ou recolher o material.

– Cuidados com o material: é essencial que, ao embalar o lixo, os cidadãos adotem cuidados básicos e protejam as pontas de espetos, enrolem bem em jornal cacos, coloquem vidros quebrados dentro de embalagens protegidas, latas abertas também. Os coletores usam luvas de proteção e os uniformes são feitos com tecido resistente para evitar cortes e outros ferimentos, mas, se todo mundo ajudar, eles estarão ainda mais protegidos e é reduzido o risco de o saco se rasgar.

– Separe o lixo em dois: embalagens limpas, como plásticos, metais, vidros e papéis, devem ser separadas para a coleta seletiva, igualmente com o cuidado de proteger pontas e materiais perfurocortantes. O lixo úmido e rejeitos deve ser encaminhado apenas nos dias de coleta domiciliar tradicional (papel higiênico, fraldas, absorventes, hastes higiênicas, bitucas de cigarro, restos de comida, sujeira da varrição doméstica).

– Horário correto: não coloque o lixo comum nem os materiais recicláveis em horários inapropriados. Para saber o horário e data em que cada tipo de coleta acontece em sua rua, basta acessar: ecourbis.com.br/coleta/index.html. Não antecipe em mais de duas horas a colocação do material na calçada, para evitar que seja vandalizado ou levado por enxurradas.

– Entulho: é possível descartar entulho no dia da coleta tradicional de lixo, mas apenas até o limite de 50kg e desde que esteja em saco apropriado, vendido em lojas de material de construção. Vale lembrar que é possível, ainda, descartar entulho correta e gratuitamente nos 109 ecopontos da cidade, que funcionam até mesmo em domingos e feriados, até o limite de 1 metro cúbico por dia.

– Respeito à equipe: é essencial também respeitar a equipe de coleta. Não buzine para o caminhão nem impeça sua passagem; não deixe para levar o lixo no último minuto, em que o coletor está passando pela rua; não deixe animais soltos, garantindo a segurança tanto dos profissionais da limpeza quanto de seus pets, por conta da movimentação do caminhão.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

© 2022 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados