Siga-nos

Construção e Reforma

Gastos de energia elétrica custam mais em maio, com bandeira vermelha

Publicado

em

Fique atento aos gastos domésticos ou em escritórios durante este mês de maio. Por conta do baixo nível de chuvas no país, os reservatórios das hidrelétricas ficam mais vazios e é preciso acionar mais vezes as termelétricas, encarecendo o processo de geração e transmissão de energia. Por isso, aAs contas de luz de maio terão bandeira tarifária vermelha patamar 1, o que representa um acréscimo de R$ 3 para cada 100 quilowatts-hora (kWh) consumidos. Este é o segundo mês em que a bandeira vermelha é ativada neste ano.

Recentemente, o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, disse que as contas de luz deverão continuar com a bandeira vermelha patamar 1 até o fim do período seco, que vai até novembro.

Os consumidores devem fazer uso eficiente de energia elétrica e combater os desperdícios neste mês, para evitar aumentos expressivos na conta. Segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o uso consciente. As cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração de eletricidade.

O sistema de bandeiras tarifárias foi criado em 2015 como forma de recompor os gastos extras com a utilização de energia de usinas termelétricas, que é mais cara do que a de hidrelétricas. A cor da bandeira é impressa na conta de luz (vermelha, amarela ou verde) e indica o custo da energia em função das condições de geração.

Quando é preciso acionar mais termelétricas para garantir o suprimento de energia no país, a bandeira fica amarela ou vermelha, de acordo com o custo de operação.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados