Siga-nos

Esporte

Futebol feminino: atletas têm histórico na região

Publicado

em

7 x 1.
Não, não se trata de resgatar o resultado de mais de um ano atrás, na desclassificação da seleção brasileira para a alemã, na Copa do Mundo do Brasil.
7 x 1 foi o resultado do jogo Brasil x Equados, nos Jogos Panamericanos que acontecem no Canadá. Mas, muita gente nem ficou sabendo do placar elástico, do show em campo. Poucos brasileiros deram importância à ótima performance do futebol nacional. Será que é porque o resultado foi obtido com a seleção feminina?
Certamente. E embora no ano que vem o Brasil vá sediar outra competição de importância mundial no esporte, pouco se falou sobre a incrível partida. A imprensa, aliás, quase não tem dado destaque ao futebol feminino e mesmo as instituições responsáveis pelas competições oferecem pouca estrutura às disputas.
Aqui na região, entretanto, são bastante disputadas as “peneiras” promovidas em busca de boas atletas para jogar futebol. As triagens são bastante disputadas e muitas são aconselhadas a, apesar de não serem selecionadas, continuar em busca do sonho.
O Centro Olímpico já revelou inúmeros talentos no futebol feminino. Várias delas se mantêm na seleção. Outras, apesar de não terem sido formadas ali, jogam pelo time do Centro Olímpico, como é o caso da goleadora Cristiane e da goleira Thais Picarte.
O Centro Olímpico, aliás, é a equipe que mais exporta atletas para a seleção: Érika, Gabi, Debinha, Maurine, Rosana foram para Londres nas Olimpíadas. Giovânna, Andressa Alves, Andréia Rosa, Mayara e Luana são outras atletas que estão ou já passaram pelo Centro Olímpico.
Assim, se o Brasil conquistar o almejado ouro nos jogos Panamericanos ou mesmo nos Jogos Olímpicos do Rio 2016, pode-se seguramente afirmar que boa parte do talento se formou e ganhou força nos campos da Vila Clementino, mesmo com todas as dificuldades e baixo destaque oferecido ao futebol feminino nacional.
Embora o destaque seja pequeno, ainda assim tem crescido a procura pelo Centro Olímpico por meninas que sonham em ser atletas de ponta. Há cinco anos, as peneiras contavam com 10 meninas, atualmente são mais de 60 por seletiva. A última delas aconteceu no início de julho.
Informações sobre as próximas são divulgadas no site www.adcentroolimpico.com.br/futebol. Há também uma página no Facebook – procure por Centro Olímpico Futebol Feminino.

 

Peneira no Centro Olímpico: vários talentos surgiram e treinam na Vila Clementino

 

 

Centro Olímpico busca formar atletas profissionais

No ano dos Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro, o Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa da Prefeitura de São Paulo estará completando quatro décadas de existência.
Embora criado para estimular o esporte de alto rendimento, o espaço já passou por altos e baixos e, no ano que antecede as Olimpíadas, era de se esperar que mais atletas de ponta surgissem no país.
No início da história do COTP, havia íntima relação com um programa voltado à formação de jovens talentos, chamado Adote Um Atleta”, que atuava em quatro modalidades: atletismo, basquete, boxe e voleibol. Nessa época, passaram por ali Montanaro, Amauri, Hortência, Ricardo Prado e outros que se tornaram famosos e ganharam diversos títulos para o país na década de 1980.
O perfil do esporte no país mudou, o esporte passou a ser uma ferramenta de marketing e as empresas passaram a investir diretamente em atletas e clubes. Aos poucos, o COTP foi se esvaziando e, a partir do início dos anos 1990, o Centro Olímpico passou por um processo de estagnação, com completa deterioração da estrutura física e paralisação das atividades do handebol – então principal atividade no CPTP – por mais de 10 anos.
A partir de 2001, o Centro Olímpico foi reestimulado. O handebol foi retomado e às oito modalidades oficiais, somaram-se treinos de luta olímpica, futebol e futsal. Atualmente, há um clube oficial – a Associação Desportiva Centro Olímpico – permitindo a participação dos atletas em competições em que representam o COTP.
Atualmente o Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa não só trabalha na formação de atletas de ponta, como recebe seleções nacionais e internacionais e é casa de treino da Equipe Pró-16 (César Cielo, Thiago Pereira…). Em parceria com a Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), também da Vila Clementino, o COTP tornou-se referência também em medicina esportiva.
Os jovens de sete a 17 anos são selecionados para as seguintes modalidades: atletismo, basquete, boxe, futebol, ginástica artística, handebol, judô, luta olímpica, natação e voleibol.
O COTP fica na Av. Ibirapuera, 1315 – Vila Clementino. Telefones: 3396-6452 e 3396-6468.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

© 2022 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados