Siga-nos

Meio ambiente

Diversas falhas ainda fazem do lixo um problema sério

Publicado

em

A Prefeitura tem apertado o cerco contra irregularidades no descarte de resíduos na cidade. Além de determinar que os comerciantes e empresários que produzem mais de 200 litros de lixo por dia contratem empresa particular para a coleta, tem aumentado a fiscalização contra munícipes que colocam o lixo fora de hora e também contra feirantes que desmontam suas barracas fora do prazo estipulado (até 13h) e não organizam os restos de suas barracas. Mas, será que as empresas de coleta de lixo têm cumprido todas as suas tarefas para evitar que o lixo depositado nas ruas seja adequadamente recolhido?

Na regiao, a missão cabe à Ecourbis, que esta semana modificou o horário de coleta em diversos bairros. Em Mirandópolis, por exemplo, a coleta domiciliar deixou de ser feita no período maturino, às terças, quintas e aos sábados, passando a ser realizada no período noturno, às segundas, quartas e sextas. Por essa mudança, os moradores têm que depositar o lixo a partir das 18h. Mas, em várias ruas, no primeiro dia em que o novo horário estava valnendo, os caminhões só passaram depois das 23h, cinco horas depois. E se nesse período ocorressem chuvas fortes?

Também houve leitores que se queixaram de novas falhas na coleta seletiva. Além de o horário de passagem do caminhão ser totalmente irregular, deixando o lixo por horas pela rua, ele deixou de ser executado na região em várias ocasiões. A queixa foi encaminhada pelo São Paulo Zona Sul à Limpurb, mas não houve resposta.

Ainda não se viu, da mesma forma, a fiscalização prometida pela Prefeitura para coibir abusos dos comerciantes. Em vias comerciais importantes da região, o cenário é comum: sacos e sacos empilhados, lixo comercial espalhado em todos os dias da semana.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados