Jornal São Paulo Zona Sul

Dez lições para tirar da quarentena

É tempo de ficar dentro de casa, para se proteger e a outras pessoas e evitar que a epidemia do coronavírus se espalhe com força e rapidez.

Então, nessa fase de isolamento social, mais contato com a família e o ambiente doméstico, há várias pequenas atitudes que todos podem adotar, algumas delas, inclusive, em definitivo.

A maior parte dos seres humanos, atualmente, vive em cidades. De acordo com dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) 2015, na região Sudeste do Brasil, 93,14% das pessoas vivem em áreas urbanas.

Essa concentração em cidades pode trazer vários problemas, como a necessidade de gasto de combustíveis para transporte de produtos, de fornecer alimentos, água, energia ou gás, sem falar na necessidade de planejar e executar o gerenciamento, coleta e destinação final de resíduos gerados por essa população que ocupa os grandes centros urbanos. Hoje, só a cidade de São Paulo já gera 18 mil toneladas de resíduos a cada dia. A maior parte – 12 mil toneladas – só em domicílios.

Agora, com a pandemia, a geração de resíduos vem aumentando, com muitos descartáveis saindo dos lares – desde as embalagens de produtos industrializados e trazidos dos supermercados até as que vêm com comidas prontas, em sua maioria feitas de isopor, que é um material de difícil reciclagem.

Nesse quadro, o que cada família pode fazer para reduzir a quantidade de resíduos produzida diariamente e para adotar novas atitudes em casa? Vale destacar que a coleta de resíduos continua ocorrendo normalmente, assim como a coleta seletiva, de itens recicláveis. Separe o lixo em casa – mantendo os recicláveis limpos.

Respeite os profissionais

A coleta domiciliar de resíduos urbanos e a coleta seletiva são consideradas atividades essenciais e não param mesmo em tempos de pandemia.

Nas últimas semanas, os coletores, motoristas e outros profissionais da limpeza pública urbana receberam diversas manifestações de respeito e carinho da população.

Manter essa atitude de maneira definitiva é essencial. Mesmo depois que a quarentena e o isolamento social terminarem. Há motoristas que não têm paciência ao encontrar com um caminhão da coleta em vias públicas, buzinam ou fazem manobras arriscadas. Espere alguns minutos ou faça um caminho alternativo.

Fique atento ao horário da coleta

Nas zonas sul e leste da capital, a coleta domiciliar de resíduos e a coleta seletiva são serviços prestados pela concessionária Ecourbis. Para saber o horário em que a coleta é feita em sua rua, basta acessar o site da concessionária que faz a coleta e colocar seu CEP.: https://www.ecourbis.com.br/coleta/index.html

Em tempos de pandemia, tem sido feita uma alternância do horário de trabalho das equipes, para evitar aglomerações nas garagens. Dessa forma, em alguns pontos da cidade, pode haver alterações de até 3 horas durante a quarentena. Assim, é fundamental estar atento ao horário padrão e deixar os resíduos corretamente ensacados em frente de casa, o que deve ser feito até duas horas antes do horário da coleta domiciliar diurna e após às 18h para o período noturno.

Como ensacar

Use dois sacos para embalar os resíduos comuns. O saco preto maior não deve ter sua capacidade total usada: encha até apenas dois terços do volume máximo total.

Também é importante fazer um nó firme, na hora de fechar, para evitar que abra na hora de ser retirado das ruas.
Objetos pontiagudos, como espetos de churrasco, itens de plástico ou vidro quebrados, devem ser protegidos por jornais ou papel similar. Outra ideia é usar potes de plástico ou mesmo garrafas pet, cortadas ao meio, para colocar os pedaços de vidro quebrados.

Os sacos não devem estar muito pesados, com buracos ou vazando.

Recicláveis têm valor

Não interrompa a separação dos recicláveis durante a quarentena. A coleta seletiva permite a reutilização de materiais que ocupariam espaço em aterros, que têm capacidade limitada.

A reciclagem também evita novas extrações de materiais da natureza para produção de mais embalagens e outros artigos. Além disso, o processo de coleta seletiva e reciclagem gera empregos e renda para milhares de famílias de catadores e recicladores em todo o país. Em tempos de emprego escasso e atividade econômica reduzida no país, essa vantagem ganha ainda mais importância.

Limpe o quintal

Acumular objetos velhos e quebrados, pneus, recipientes sem uso ou qualquer outro item acumulado, sem uso, pode contribuir para a proliferação de roedores e outros vetores de doenças como o mosquito Aedes aegipty.

Aproveite a quarentena para fazer uma limpa no quintal, garagens, em armários e gavetas. O que for reciclável, encaminhe para a coleta seletiva. Já outros itens como móveis velhos e quebrados, bagulhos em geral, entregue para o Cata Bagulho ou leve para ecopontos da cidade.

Para saber a programação da Operação Cata Bagulho ou o endereço dos ecopontos, basta ligar 156.

Consumo

Há uma diferença entre consumo e consumismo. A quarentena pode nos fazer refletir sobre isso.

O consumo faz parte da vida moderna, é necessário e faz a economia girar. Mas, comprar coisas demais, brinquedos demais, objetos demais, que acabam encostados e sem uso no ambiente doméstico são atitudes prejudiciais à economia doméstica e até mesmo à construção pessoal de valores.

A limpeza do quintal e dos armários pode demonstrar isso. Doe ou revenda online aquilo que não estiver em uso.

Se estiver com tempo livre durante a quarentena, aproveite também para transformar roupas, acessórios e outros objetos, para reaproveitá-los.

Desperdício

Da mesma forma, durante a quarentena é preciso evitar desperdício de alimentos. Ao fazer compras, programe o cardápio, conforme o número de pessoas.

E, ao longo da semana, vale também estudar reaproveitamento ou congelar o que for possível para evitar o desperdício e geração de resíduos orgânicos. Pesquisa realizada em 2018 pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) com apoio da Fundação Getulio Vargas (FGV) mostrou que o arroz e o feijão representam 38% do montante de alimentos jogados fora no país. O ranking dos alimentos mais desperdiçados mostra arroz (22%), carne bovina (20%), feijão (16%) e frango (15%) com os maiores percentuais relativos ao total desperdiçado.

No Brasil, a média de alimentos desperdiçados por domicílio é de 353 gramas por dia. Individualmente a média é de 114 gramas por dia.

Natureza

As origens exatas do novo Coronavírus ainda estão sendo estudadas por cientistas e acadêmicos em geral.

Mas, o fato é que agressões à natureza têm custado caro ao ser humano, não só com a destruição dos recursos disponíveis, mas também com reflexos à saúde: poluição, doenças, aquecimento global…

Durante a quarentena, os seres humanos também têm percebido a falta que faz o contato com ambientes verdes.

Que tal aproveitar o período para fazer uma pequena horta ou jardim em casa?

Higiene e limpeza

A pandemia também está reforçando a importância da limpeza – pública, doméstica, individual. Os conceitos de higiene pessoal e de práticas corretas de descarte de lixo em vias públicas são bem conhecidos, mas nem todos respeitavam.

Nas últimas semanas, as ruas da cidade estão mais limpas, com menos circulação de munícipes, e os cuidados com a higiene pessoal, com mais lavagem das mãos e uso de álcool gel tem crescido

Educação

Aproveite a quarentena e ensine às crianças o valor das escolhas, a importância de preservar a natureza, a compra consciente, os cuidados no manejo do lixo, a separação dos resíduos. Faça, aliás, com que colaborem com esse processo.

Crie também brinquedos com caixas de papelão ou latas, use o verso de impressões, incentive a troca de produtos .

Comentar