Siga-nos

Coronavírus

Coronavírus está na zona sul paulistana?

Publicado

em

Embora Prefeitura e Governo do Estado não estejam divulgando a localização exata dos casos confirmados de coronavírus na capital paulista, é possível imaginar que o vírus já circula por toda a cidade.

Especificamente na região do Paraíso e Vila Mariana, há vários indicativos de que a doença pode estar em qualquer lugar. O fato de esses bairros concentrarem muitos hospitais e equipamentos de saúde, em si, já pode significar circulação de pessoas com a Covid 19. Pacientes, parentes, profissionais de saúde, pessoas que mantiveram contato…

Vale ainda destacar que as primeiras vítimas da doença são pessoas de bairros de classe média ou alta, porque são pessoas que viajaram ao exterior ou tiveram contato com quem esteve por lá. A maioria das mortes registradas até agora, aliás, é de hospitais particulares e uma minoria em hospitais públicos.

Há ainda notícias específicas que demonstram que o vírus está à espreita e, por isso mesmo, todos devem permanecer em casa, o maior tempo possível. E sempre caprichar nos hábitos de higiene, lavar as mãos, limpar objetos vindos da rua, lavar roupas e evitar contato em supermercados, táxis, bares etc.

Uma informação não oficial circula em grupos de redes sociais, de que a doença teria como uma das vítimas fatais um taxista com ponto na região do Planalto Paulista.

Outra vítima fatal foi a maestrina Naomi Nakamura, que faleceu semana passada no hospital alemão Osvaldo Cruz, no Paraíso.

Essa semana, o hospital Santa Cruz confirmou a morte de um jovem de 29 anos. O hospital divulgou nota sobre a morte (veja ao final da matéria).

Já no Hospital Sírio Libanês, também localizado na região do Paraíso, 104 funcionários, de diferentes setores, foram afastados essa semana do trabalho por terem testado positivamente para o novo coronavírus. Vale ressaltar que o próprio hospital confirma que nem todos tinham sintomas. Teriam eles circulado pelo bairro? Usado transporte público ou táxis? Comprado no comércio local?

O Hospital Santa Maria Maggiore, no Paraíso, da rede Prevent Senior, concentra dezenas de mortes de idosos por coronavírus. A Prefeitura informou que pretende pedir a interdição dessa e de outras duas unidades da rede, por subnotificação e falta de condições sanitárias.

A Rede nega e diz que vai acionar judicialmente a Prefeitura.

Também no hospital israelita Albert Einstein, no Morumbi, zona sul paulistana, funcionários se queixaram sobre a falta de máscaras e equipamentos de saúde para uma reportagem do jornal Folha de São Paulo.

O Hospital das Clínicas, na região de Pinheiros, foi outra unidade que afastou mais de 120 profissionais por estarem contaminados.

O fato é que a cidade já registra mais de 100 mortes por coronavírus, a absoluta maioria em hospitais particulares, e muitos em hospitais da região centro-sul. A circulação comunitária do vírus, portanto, pede cautela e indica a necessidade de evitar sair de casa.

A Prefeitura está montando um hospital de campanha no estádio do Pacaembu e o Governo do Estado está montando leitos dentro do Centro de Convenções do Anhembi

 

Nota do hospital Santa Cruz sobre falecimento de paciente:

“É com pesar que o Hospital Santa Cruz comunica o falecimento de um jovem de 26 anos pela infecção provocada pelo novo Coronavírus, SARS-COV 2. O paciente, que relatou estar em tratamento para Hiperuricemia (presença de altos níveis de ácido úrico no sangue), foi acolhido no Hospital Santa Cruz no dia 23 de março de 2020, via Pronto Atendimento, com quadro de síndrome respiratória aguda grave. Sua tomografia de tórax revelou padrão compatível com pneumonite viral e, frente a possibilidade de caso suspeito de COVID-19, foi isolado e testado para PCR para SARS-CoV-2, com resultado positivo após 24 horas.

Prontamente submetido a cuidados de suporte em ambiente de terapia intensiva, apesar do tratamento inicial, seu quadro evoluiu com piora progressiva da disfunção respiratória, sendo necessárias ventilação mecânica e manobras para manejo de hipoxemia refratária. Infelizmente, a despeito de todas as medidas e recursos aplicados para reverter o quadro, o paciente veio a óbito no início desta noite de 28 de março. Nesse momento de dor imensa, o Hospital Santa Cruz se solidariza com os familiares e amigos do paciente.

Atenciosamente, Dr. Renato Hassegawa”

Advertisement
1 Comentário

1 Comentário

  1. Claudio Soares

    3 de abril de 2020 at 22:02

    Boa noite!
    O nome da maestrina está errado. é Naomi MUNAKATA. Fui aluno dela na década de noventa, e ela fará muita falta na vida musical desta cidade e do país. Muito obrigado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2020 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados