Siga-nos

Coronavírus

Concessionárias e escritórios podem abrir, comércio ainda não – diz Covas

Publicado

em

Dois setores autorizados a voltar a funcionar na Fase Amarela do Plano São Paulo, de Retomada Consciente da Economia, já podem reabrir as portas nessas sexta-feira, 5: concessionárias de automóveis e escritórios.

Os demais – imobiliárias, lojas de comércio de rua e shopping centers -, embora também estejam teoricamente liberados nessa etapa da reabertura, ainda precisam ter os protocolos analisados pela Vigilância Sanitária e Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho para poderem reabrir.

A informação foi dada em entrevista coletiva nessa quinta-feira, 4 de junho. Como o prefeito já havia declarado, um dia antes, que poderia antecipar ou mesmo postergar a abertura dos estabelecimentos autorizados nessa etapa, havia a expectativa de que pudesse anunciar datas também para lojistas, o que não aconteceu ainda.

As concessionárias e os escritórios já estão autorizados a operar a partir dessa sexta, dia 4. Mas, além de seguir todos os protocolos sanitários – como distanciamento entre os funcionários, uso de máscara obrigatório para equipe e clientes, oferta de álcool em gel – os estabelecimentos também devem seguir outras regras.

A principal delas e que provavelmente vai valer também para o comércio de rua, quando autorizado, é o limite de quatro horas diárias de funcionamento. E mais: a abertura e fechamento dos estabelecimentos não pode ocorrer em horário de pico – não podem abrir entre 7h e 10h da manhã, nem fechar entre 17h e 20h, para evitar a sobrecarga no sistema de transporte. (veja detalhes abaixo)

Há ainda uma expectativa de que, além de liberar na próxima semana as lojas e o setor imobiliário em esquema semelhante, o prefeito logo anuncie a evolução da capital para a Fase Amarela do Plano São Paulo, ainda em junho. Isso significaria a abertura de estabelecimentos do setor de estética (salões de beleza, clínicas de beleza e spas, podólogas etc) e gastronomia (bares, restaurantes, lanchonetes padarias, também para consumo interno).

Não há previsão, ainda, quanto à reabertura de academias, espaços de cultura (cinemas, teatros, museus e bibliotecas) nem parques.

Já para escolas, a expectativa é de que o Governo do Estado anuncie ainda nessa sexta feira a retomada das aulas para julho. É provável que o esquema preveja aulas em dias alternados, abertura em turnos diferentes e até mesmo aulas aos sábados, a partir de 20 de julho.

O governador João Doria vai falar sobre o setor educacional em coletiva às 12h30 dessa sexta, 5 de junho.

Os protocolos assinados

As entidades setoriais enviaram à Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho suas propostas de protocolos sanitários de reabertura pelo site www.prefeitura.sp.gov.br/retomada. A equipe técnica da Coordenadoria de Desenvolvimento Econômico com o apoio da Deloitte e da Secretaria de Relações Internacionais avaliou cada documento de acordo com as orientações já estabelecidas pelos órgãos de saúde e vigilância sanitária, para que não haja propagação do vírus na cidade.

Todos os setores que constam na fase 2 do Plano São Paulo já enviaram propostas. Entre os documentos recebidos até quarta-feira, 42 são da fase 2 e outras 32 sugestões são de entidades enquadradas nas demais fases.

“Analisamos todas as propostas recebidas com cautela e atenção para que a cidade possa retomar suas atividades gradualmente de maneira segura para funcionários e clientes. As outras propostas recebidas estão sendo analisadas e avaliadas pelas nossas equipes”, explica a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso. “Para que a retomada da atividade econômica seja realizada com sucesso precisamos dos setores público e privado unidos para que as empresas voltem a funcionar no tempo certo e de maneira correta reaquecendo a economia e gerando renda para a população”, completa.

Além de autorizar o funcionamento de acordo com o protocolo proposto pelas entidades, a Prefeitura irá orientar constantemente esses setores sobre informações sanitárias que auxiliem na execução do protocolo e como proceder em caso de confirmação da doença em colaboradores das empresas representadas.

Já as entidades deverão orientar e acompanhar os estabelecimentos que integram o seu setor econômico a cumprirem com o protocolo, enviando à Prefeitura relatórios das medidas adotadas e apoiando a administração municipal na supervisão e fiscalização das empresas.

Tanto a Prefeitura quanto as entidades manterão em seus sites oficiais os protocolos sanitários para que concessionárias de veículos e escritórios de prestação de serviços associados ou não às entidades possam ter amplo acesso ao conteúdo e adotar as medidas sanitárias previstas nos documentos.

Os protocolos sanitários só deixarão de ser adotados quando acabar o Estado de Calamidade Pública na cidade de São Paulo por conta da pandemia do coronavírus.

Confira as principais ações que os setores autorizados deverão adotar para a reabertura:

Concessionárias de veículos

Os estandes deverão ser ventilados e o atendimento aos clientes no departamento de vendas de veículos novos e usados (showroom) precisa ser feito com controle de acesso, evitando aglomerações. Será necessário manter uma escala de revezamento de funcionários, respeitando o limite de 20% de pessoal do setor de showroom e administrativo até que o município seja classificado em fase que permita aumento do número de colaboradores. Para esta categoria, o modelo de teletrabalho também deverá ser adotado sempre que possível.

Os concessionários serão responsáveis por orientar os funcionários a utilizar máscaras e álcool em gel com frequência, além de manter sempre a distância mínima entre os clientes. O estabelecimento tem, como obrigação, disponibilizar equipamentos de proteção individual para os clientes, além de dispor em todas as bancadas e entradas da loja recipientes com álcool em gel 70%.

A limpeza do estabelecimento deverá ser reforçada e, sempre que possível, os ambientes devem ficar abertos e arejados. O protocolo de monitoramento de condições de saúde será adotado com o apoio das Associações de Marca que integram o segmento automotivo. Por meio delas serão coletadas semanalmente declarações de cada concessionário da capital paulista, confirmando o cumprimento do presente protocolo, bem como, a existência de algum caso classificado suspeito em decorrência da triagem.

Escritórios de prestação de serviços

O funcionamento de escritórios de prestação de serviços terá que ser submetido a um sistema de limpeza constante, utilizando álcool 70% e produtos desinfetantes, como a água sanitária. Além da frequência na limpeza, o local deve retirar de circulação revistas, controles remotos, jornais, catálogos, livros, e outros objetos que são possíveis meios de contaminação.

O uso das máscaras por parte dos colaboradores e clientes também segue sendo obrigatório, os itens de proteção individual devem ser descartados separadamente do lixo comum. Caso o distanciamento social não seja viável no espaço, é fundamental a instalação de barreiras e divisórias transparentes entre funcionários e colaboradores. Além disso, é indicado que o atendimento seja feito de forma agendada em um local preparado para a higienização ao término do contato.

A circulação de ar também é importante. É incentivado o uso das janelas do local que devem ser abertas na maior parte do tempo, se não for possível, é necessária a instalação do filtro HEPA nos aparelhos de ar condicionado.

A empresa também deve submeter um sistema de aferição periódica de temperatura de clientes e funcionários que, se acima dos 37,5º, não podem permanecer no ambiente de trabalho. Colaboradores que estiverem inseridos em grupos de risco ou apresentarem sintomas do coronavírus devem ser afastados, adotando regimes de teletrabalho, férias individuais ou uso de banco de horas.

 

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados