Siga-nos

Cultura

Cinemateca Brasileira promove mostra com filmes preferidos da escritora Lygia Fagundes Telles

Publicado

em

Para abertura da Programação de 2020, a Cinemateca celebra uma das principais autoras da literatura brasileira moderna, Lygia Fagundes Telles, que completará 97 anos neste ano. Durante toda sua trajetória, sempre se posiciona a favor da Instituição, foi membro de seu Conselho, tendo assumido sua presidência em 1977.

Nascida em São Paulo no dia 19 de abril de 1923, publicou seus primeiros textos no final da década de 1930. Com o romance Ciranda de pedra (1954), alcançou notabilidade nacional. Famosa pela convergência entre o registro realista de conflitos e a dimensão psicológica de suas personagens – urbanas e, particularmente, mulheres –, sua obra é referência para a literatura brasileira. Lygia Fagundes Telles publicou, entre outros livros, Antes do baile verde (1970), As meninas (1973) e Seminário dos ratos (1977). Em 1982, foi eleita para a Academia Paulista de Letras e, três anos depois, para a cadeira dezesseis da Academia Brasileira de Letras.

Conquistou o Prêmio Jabuti quatro vezes, a primeira em 1966 e a última em 2001, e o Prêmio Camões, um dos maiores em língua portuguesa, em 2005. Foi casada com o crítico de cinema, professor e escritor Paulo Emílio Sales Gomes, fundador da Cinemateca Brasileira.

A Mostra reúne 14 títulos selecionados pela escritora, que a marcaram em diferentes momentos de sua trajetória. Dentre as obras, grandes clássicos nacionais e internacionais. Do cinema americano, Casablanca, de Michael Curtiz, …E o vento levou, de Victor Fleming, Cidadão Kane, de Orson Welles e Cantando na chuva, de Stanley Donen e Gene Kelly; do Cinema Novo e do Cinema Marginal, Deus e o diabo na terra do sol e O bandido da luz vermelha; da Nova Hollywood, dois longas de Francis Ford Coppola, Apocalypse now e O poderoso chefão; e da Nouvelle Vague francesa, Jules e Jim – Uma mulher para dois, de François Truffaut.

Destaque também para a exibição do único longa-metragem do mestre Jean Vigo, O Atalante; e de duas obras-primas do italiano Luchino Visconti, O leopardo e Morte em Veneza, ambos em cópias 35mm, assim como daquele que é considerado o melhor filme de Humberto Mauro, Ganga bruta, em cópia em película do acervo da instituição. Convidamos todos para a sessão especial de Acossado, de Jean-Luc Godard – que será exibido em 35mm na tela externa no sábado dia 15/02. A programação se encerra com outra exibição na tela externa, com O leopardo, em 35mm, no domingo 23/02.

A mostra teve colaboração da Pandora Filmes, da Embaixada da França e de Lúcia Telles para a realização desta Mostra. A programação tem entrada gratuita. Os ingressos serão distribuídos na bilheteria uma hora antes de cada sessão, sujeito à lotação da sala.

A Cinemateca fica no Largo Senador Raul Cardoso, s/n – Vila Mariana.

Confira a programação completa em nosso site: jornalzonasul.com.br

PROGRAMAÇÃO
– 1ª SEMANA –

Quinta-feira | 13/02
Sala BNDES
19h – Cantando na chuva
21h – Cidadão Kane

Sexta-feira | 14/02
Sala BNDES
19h – Casablanca
21h – Deus e o Diabo na terra do Sol

Sábado | 15/02
Sala BNDES
17h – O Atalante
19h – O bandido da Luz Vermelha
Tela externa
21h – Acossado

Domingo | 16/02
Sala BNDES
16h – Apocalipse now
19h – O poderoso chefão

– 2ª SEMANA –

Quinta-feira | 20/02
Sala BNDES
19h – … E o vento levou

Sexta-feira | 21/02
Sala BNDES
19h – O Atalante
21h – Jules e Jim – Uma mulher para dois

Sábado | 22/02
Sala BNDES
18h – Ganga Bruta
20h – Morte em Veneza

Domingo | 23/02
Sala BNDES
16h – O poderoso chefão
Tela externa
19h – O leopardo

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

© 2022 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados