Siga-nos

Coronavírus

Cidade adota novas medidas para evitar avanço da pandemia

Publicado

em

Aumentar os leitos hospitalares, antecipar feriados municipais, alterar o horário do rodízio de veículos para reduzir circulação de pessoas durante o Toque de Recolher e diminuir o uso de transporte público foram algumas das medidas anunciadas ontem, 18, pelo prefeito Bruno Covas. Também houve anúncio de compra de vacinas pelo município e extensão do programa de Renda Emergencial para pessoas cadastradas no Bolsa Família já a partir da próxima semana.

As medidas foram estabelecidas para tentar conter o avanço da pandemia de Covid 19 na cidade. A Prefeitura já havia decidido pela suspensão das aulas presenciais no município.

Feriados

Com a antecipação de feriados, vai se formar na cidade um período de 10 dias corridos, sem dias úteis entre 26 de março, sextada próxima semana (inclusive) e 4 de abril, domingo de Páscoa. Vale destacar que a previsão da Fase Emergencial no Estado seguiria somente até 30 de março.

Os dez dias se formam juntando os dois fins de semana (dias 27 e 28 de março, 3 e 4 de abril), a Páscoa e cinco feriados municipais antecipados

Os feriados antecipados são Corpus Christi 2020 (dia 3 de junho, quinta-feira) e Dia da Consciência Negra 2021 (dia 20 de novembro, sábado); além de feriados 2022: Aniversário de São Paulo (25 de janeiro, terça-feira), Corpus Christi (quinta-feira, 16 de junho) e Dia da

Consciência Negra (domingo, 20 de novembro ), todos feriados municipais.

O prefeito ainda disse que negocia com o governador João Doria a antecipação do Feriado de 9 de Julho, que é estadual.

Rodízio

Outra medida foi a alteração do rodízio de veículos, que deixará de ser das 7h às 10h e das 17h às 20h pelas próximas duas semanas.

Nesse período, o rodízio na verdade valerá das 20h às 05h, ou seja, no horário em que o Governo do Estado estabeleceu o Toque de Recolher.

Só será proibido circular no dia de sua placa. Assim, a placa de final 1 e 2 não poderá circular nas duas próximas segundas-feiras, dia 22 e 29, das 20h às 05h de terça, e assim sucessivamente. Radares e agentes municipais estarão multando quem desobedecer a restrição. E ressaltando, os carros estarão liberados para circular entre 7h e 10h, 17h e 20h, no dia em que normalmente são restritos. Segundo o prefeito, a medida é para que as pessoas deem preferência ao uso do transporte em veículos particulares.

Segundo Covas, a cidade que nunca para agora terá que reduzir seu ritmo.

Leitos

A Prefeitura ainda anunciou a criação de novos leitos, mas apontou para o fato de que já ocorreu uma morte de paciente sem leito de UTI, um jovem de 22 anos, apenas, na zona leste da capital.

Um dos hospitais beneficiados será o do Jabaquara. No total, serão criados 640 novos leitos (UTIs e enfermarias) para pacientes com covid-19 na capital paulista. Além do Hospital do Jabaquara, na Zona Sul, haverá novos leitos nos hospitais de Itaquera, na Zona Leste, e no vereador José Storopolli, na Vila Maria, Zona Norte.

Vacinas

Bruno Covas destacou que a cidade de São Paulo faz parte de um consórcio com outros municípios do Brasil, liderado pela Frente Nacional de Prefeitos, para poder adquirir vacinas para a cidade. A Secretaria da Saúde está em contato com representantes das indústrias farmacêuticas para viabilizar a compra direta de imunizantes. A Câmara Municipal já aprovou a destinação de verbas para a compra.

Renda Básica Emergencial

O prefeito também anunciou a liberação de R$ 500 milhões em recursos municipais para efetuar o pagamento da Renda Básica Emergencial para a população em situação de vulnerabilidade social durante os meses de março, abril e maio. Mais de um milhão de famílias serão beneficiadas com o recurso.

A extensão do programa, que também pagou três aprcelas no final do ano passado e representa R$ 100 por pessoa, foi aprovada pela Câmara dos Vereadores e sancionada pelo prefeito ainda no início do mês, mas até agora o contrato com a Caixa Econômica ainda não havia sido concluído, para que os novos pagamentos sejam efetuados.

A expectativa é que o pagamento do auxílio emergencial seja feito na semana que vem. “Foi autorizado ontem (quarta-feira, 17) e publicado no Diário Oficial do Município o montante de meio bilhão de reais dos cofres municipais para que, após a assinatura do contrato, que deve acontecer hoje, iniciar na semana que vem o pagamento do auxílio emergencial na cidade de São Paulo”, declarou Covas.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados