Jornal São Paulo Zona Sul

Câmeras espalhadas pela região podem ampliar segurança

Quase três mil pessoas foram presas, 200 armas apreendidas e mais de dois mil veiculos interceptados pela Polícia Militar depois de ter flagrado, por meio de câmeras espalhadas por toda a cidade de São Paulo, ações suspeitas ou criminosas. Na cidade, já são mais de 2.200 câmeras que funcionam em parceria com a Prefeitura, em especial da Companhia de Engenharia de Tráfego.

Mas, a Prefeitura também apresentou recentemnte o projeto City Câmeras, que tem por objetivo ampliar o número de câmeras espalhadas pela cidade para 10 mil, conectadas a uma central de monitoramento. Na verdade, nem toda essa aparelhagem será da própria Prefeitura, mas formará uma rede com comerciantes, empresas e sociedade civil.

Se já são comuns os flagras de contravenções e infrações de trânsito, pequenos furtos, vandalismo, brigas e abordagens criminosas diversas por câmeras particulares, a tendência é que este material passe a ser mais utilizado na punição de criminosos.

Essencialmente, entretanto, o aumento do número de câmaras de vigilância integradas a um sistema único e monitorado deve apresentar um outro benefício: a prevenção de crimes.

Cientes de que as câmeras estão por todo lado, infratores, contraventores e criminosos tendem a modificar seu comportamento por receio do registro que comprova a ação danosa. As imagens também podem auxiliar para agir com rapidez em casos de acidentes, catástrofes e emergências diversas.

Até a zeladoria pode ter ganhos, de acordo com a Prefeitura, já que será possível flagrar, por exemplo, o descarte irregular de entulho na cidade.

Segundo a Prefeitura, o principal diferencial do programa é a participação da população. Câmeras de segurança residenciais e as que estão instaladas em pontos comerciais serão integradas. As imagens ficarão  armazenadas e serão transmitidas para o Comando da GCM e Controle da Prefeitura por meio de um canal de comunicação de dados da internet, sendo possível a realização de uma triagem de ações que acontecem nas ruas e avenidas da cidade.

A Prefeitura também pretende monitorar o patrimônio público, escolas, hospitais, além de grandes vias de circulação de pessoas e automóveis, como pontes, passarelas e avenidas, por meio de câmeras externas de condomínios, fábricas e empresas.

A ação da Prefeitura já começou no centro da cidade e deve se espalhar aos poucos para outros bairros, conforme adesão da comunidade.

Sociedade Civil

A Prefeitura promete fazer A Prefeitura fará, nos próximos dias, um chamamento público destinado a pessoas físicas e jurídicas que quiserem disponibilizar o acesso às suas câmeras, desde que atendam aos requisitos técnicos exigidos.

Na zona sul, já há algumas várias iniciativas da comunidade visando, principalmente, à melhoria da segurança pública.

Moradores de bairros como Planalto Paulista, Parque Jabaquara e Jardim Aeroporto estão se mobilizando e discutindo a implantação do projeto Vizinhança Solidária, que prevê ações interligadas de inteligência e prevenção de crimes entre vizinhos, com apoio operacional da Polícia Militar para agilizar o atendimento das ocorrências.

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!