Siga-nos

Turismo e Lazer

Botânico é opção de passeio na Primavera

Publicado

em

jardim botânico

A Primavera chegou. Com temperaturas baixas – mas tendência a oscilações constantes – a nova estação é marcada por floradas e, especialmente, pela valorização do contato com plantas e com a natureza, de forma mais ampla. A Zona Sul paulistana conta com um reduto perfeito para esse público.

O Jardim Botânico tem  diversas coleções de plantas, inclusive algumas ameaçadas de extinção e conta com uma área de 360 mil m² de Mata Atlântica. Nesse oásis, são encontradas mais de 380 espécies de árvores, muitas delas utilizadas para pesquisa, e protege parte da biodiversidade paulista e brasileira.

Piqueniques

O Botânico tem área para piqueniques e pequenos encontros são autorizados, desde que não haja aglomerações ou muito barulho. São autorizados piqueniques simples (até 20 pessoas), sem decoração, mesas, cadeiras, música, e qualquer coisa que venha a importunar os outros visitantes.

Há alguns quiosques, mesas e bancos disponíveis pelo Jardim, pode-se usar os gramados, desde que não haja sinalização proibindo acesso. Nesse caso não precisa de autorização, nem agendamento, mas não há possibilidade de reservar os espaços: basta chegar cedo e, claro, zelar pela ordem e limpeza do local.

Como espaço de contemplação de natureza, o Jardim também não aceita animais de estimação e nem equipamentos como bolas, bicicletas, patins, skates…  Churrascos, fogueiras e ensaios fotográficos também não são permitidos. É possível apenas fazer fotos pessoais.

As atrações vão além. Ali, há  três afluentes que formam o riacho do Ipiranga, curso d’água que faz parte da história do Brasil. Teria sido às suas margens, em 1822, que o imperador Dom Pedro I declarou a Independência do país, então colônia de Portugal. O fato foi imortalizado no verso “Ouviram do Ipiranga as margens plácidas”, do Hino Nacional, escrito por Joaquim Osório Duque Estrada.

Quem for até lá, poderá caminhar por uma trilha suspensa, com 350 metros de comprimento, que leva até o local onde brota o riacho Pirarungauá, o maior dos afluentes do Ipiranga.Com sorte, neste percurso é possível ver vários animais, como exemplares do macaco bugio, além de muitas aves. É um pedaço de São Paulo que resguarda uma época remota.

Vale destacar que a trilha, assim como a maior parte do Botânico, conta com acessibilidade para cadeirantes.Aliás, o Jardim dos Sentidos, um dos espaços do Botânico, é também uma ótima pedida para deficientes visuais… ou não. Tem coleções de plantas com diferentes aromas e texturas!

Cerca de um quilômetro do Rio Ipiranga percorre o Jardim Botânico. Depois, ele entra na área urbana e passa próximo ao monumento da Independência – o ponto exato onde Dom Pedro I teria selado o destino do Brasil como país livre dos domínios portugueses. O Ipiranga segue seu caminho até desaguar no Rio Tamanduateí.

Histórico

No final do século XIX, a área do Parque Estadual das Fontes do Ipiranga era uma vasta região com mata nativa, ocupada por sitiantes e chacareiros. Por ordem do governo, as desapropriações na área vinham ocorrendo desde 1893, visando à recuperação da floresta, à utilização dos recursos hídricos e à preservação das nascentes do Riacho do Ipiranga.

Em 1917, a região tornou-se propriedade do Governo, passando a denominar-se Parque do Estado. Até 1928 serviu para captação de águas, que abasteciam o bairro do Ipiranga. Neste mesmo ano, o naturalista Frederico Carlos Hoehne foi convidado para implantar um Jardim Botânico na região.

Entretanto, somente em 1938 o Jardim Botânico de São Paulo foi oficializado, juntamente com a criação do Departamento de Botânica, na época órgão da Secretaria da Agricultura, Indústria e Comércio de São Paulo. Em 1969, o Parque do Estado, onde o Instituto de Botânica e o Jardim Botânico estão localizados, passou a denominar-se Parque Estadual das Fontes do Ipiranga.

Serviço e Informações

Jardim Botânicode São Paulo

Av. Miguel Stéfano, 3687 – Água Funda.

Ingressos = R$10  (R$ 5 meia/estudantes)

Lanchonete: das 9h às 17h. Restaurante, abre para almoço, de segunda a sexta, das 12 às 14h30 e aos sábados, domingos e feriados, das 11h30 às 15h30

Não há como estacionar em via pública. É possível reservar estacionamento e comprar ingressos pelo site jardimbotanico.sp.gov.br

 

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

© 2022 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados