Jornal São Paulo Zona Sul

Blocos de Carnaval tomam as ruas a partir desse sábado, 15

A previsão é de alta da temperatura – que esse ano estava abaixo de média, com dias de frio e agasalho em janeiro e fevereiro! E junto com o calor, chega o Carnaval de Rua paulistano, quase 40% maior em número de blocos do que já foi no ano passado. A expectativa da Prefeitura, aliás, é de que nesse ano a capital paulista promova a maior folia do país, ultrapassando cidades tradicionais como Rio, Salvador e Recife, com mais de 15 milhões de participantes.

Nos últimos cinco anos, a quantidade de desfiles cresceu 91,2% na capital. Em 2019, a festa contou com 490 desfiles e 464 blocos. Em 2020, serão 678 desfiles e 644 blocos (um bloco pode fazer mais de um desfile).

E a região da Vila Mariana (Ibirapuera, especialmente) é uma das mais movimentadas da capital, competindo com Pinheiros (Vila Madalena), Consolação (baixo Augusta).

Mas engana-se quem pensa que são só os mega blocos da Avenida Pedro Álvares Cabral que atraem público por aqui. Tem Alceu, Elba, Preta Gil, Monobloco e até o tradicional Galo da Madrugada – bloco de Recife que é considerado o maior do planeta) na programação da via que fica em frente ao Parque.

Mas os bloquinhos que se espalham pela Vila Mariana, Saúde e Moema – que são quase 50, que tocam de marchinhas tradicionais a jazz, passando por bloquinhos de rock, pagode e até específicos para crianças pequenas – também atraem trazem movimentação e turistas. Pelos cálculos da Prefeitura, aliás, o resgate dos bloquinhos de rua na cidade não só impediu a tradicional fuga de moradores da capital no feriadão do Carnaval como também passou a atrair pessoas de todas as partes do país para cá. Em pesquisa realizada pelo Observatório do Turismo, em 2019, foi apontado que 30% das pessoas que curtiram o carnaval de rua eram de fora da cidade.

Entre os paulistanos, 46% disseram que ficaram na cidade motivados pelo carnaval paulistano, um aumento de 4,5% com relação ao índice levantado em 2018. Já 22% confirmaram que receberam parentes ou amigos de outras localidades para curtirem o carnaval na cidade. O gasto dos turistas subiu, de R$ 683, em 2018, para R$ 734 em 2019 (+10,7%) e a permanência dos turistas na cidade também aumentou, de 4 para 6 dias.

Pra atender toda essa demanda, a Prefeitura promete melhorara a estrutura, com um número total de banheiros disponíveis já 80% maior que no ano anterior, 750 seguranças e 20 postos médicos montados nos pontos de maior tráfego, além de Tendas de Acolhimento, uma ação conjunta das secretarias da Cultura, Saúde e Direitos Humanos. Nas tendas haverá os chamados “anjos” e “anjas” (voluntários para atuar contra o assédio nos desfiles), advogadas, psicólogas e assistentes sociais.

O valor investido por patrocinadores é recorde no país: R$ 21,9 milhões.

Em 2020, a cidade de São Paulo vai contar com 13 circuitos principais: Av. Marquês de São Vicente, Av. Eng. Luis Carlos Berrini, Av. Brigadeiro Faria Lima, Av. Tiradentes, Rua da Consolação, Centro Novo (República), Av. Dumont Villares, Parque Ibirapuera, Av. Paulo VI (na altura do Sumaré), Av. Hélio Pelegrino (na altura de Pinheiros), Av. Hélio Pelegrino (na altura da Vila Mariana), Rua Henrique Schaumann e Largo da Matriz, na Freguesia do Ó.

O Carnaval acontece já a partir desse sábado: 15 e 16 de fevereiro (pré-carnaval), 22 a 25 de fevereiro (carnaval), 29 de fevereiro e 1 de março (pós-carnaval).

Confira o roteiro dos blocos de Carnaval na zona sul paulistana:

Região de Vila Mariana, Saúde e Moema

Região do Jabaquara

Região de Santo Amaro

Região do Ipiranga

Região de Cidade Ademar

Região do M’Boi Mirim

Região da Capela do Socorro

Região de Campo Limpo

Região de Parelheiros

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!