Siga-nos

Cultura

Biblioteca debate relação entre mulheres e HQs

Publicado

em

A Biblioteca Viriato Correa tem duas programações para movimentar este pós Carnaval na região. Embora bem diferentes, são complementares por estimularem reflexões, debates e provocarem interações entre diferentes manifestações artísticas. Desde o dia 1 de março, uma seleção de clássicos do cinema africano estão sendo apresentados na sala de exibições da Biblioteca em mostra que se estenderá até dia 16. Os filmes, todos produzidos ou co produzidos pela França, foram restauraados pela Cinémathèque Afrique, ligada ao Instituit Français. Os filmes retratam a cultura de países da África Francófona, como o Mali e o Senegal.
“Bako, a outra margem”, de Jacques Champreux, é o longa que abre a mostra. A obra expõe a miséria do continente ao contar a história de um ingênuo homem enviado de sua vila em Senegal para encontrar seu irmão em Paris. Lá, ele precisa trabalhar para enviar dinheiro para os membros de sua tribo, que precisam comprar comida durante um período de seca. A palavra que dá nome ao filme, “bako”, da língua local bambara, é como os imigrantes de Mali definem a França, e significa “a outra margem”.
Entre os destaques está “Taafe Fanga, Poder de Saia”, de Adama Drabo, que explora questões de gênero. Baseado em um folclore da tradição oral do nordeste de Mali, o filme conta a história de Yamene, uma moça que rouba a máscara de um demônio e, cansada da indolência do marido, usa o poder do objeto para que os homens troquem de papéis na sociedade com as mulheres. A partir daí, elas dão a eles suas saias e as tarefas de cozinhar e limpar. Entretanto, Yamene é alertada que o vilarejo corre grande perigo se a máscara não for devolvida.
No dia 14, acontecem duas sessões especiais com curtas. Às 15h, são exibidos três títulos em sequência, que retratam o universo do jovem africano em contato com a cultura francesa. São as obras “África Sobre o Sena”, “Os Príncipes Negros de Saint Germain-des-Prés” e “Paris é Bonita”. Às 17h, é exibido o primeiro faroeste africano, “O Regresso de Um Aventureiro”, de Moustapha Alassane, e, em seguida, “Os Caubóis São Negros”, documentário sobre as gravações do filme anterior.
Mulheres
A outra proposta é de discutir a relação entre a mulher e as histórias em quadrinhos, no dia 16 de março, a partir das 14h, com entrada gratuita. O encontro “Mulheres e Histórias em Quadrinhos” reúne as autoras Beatriz Lopes, Lovelove6 e Sirlanney.
A partir da experiência das autoras, o encontro propõe uma conversa sobre a produção de histórias em quadrinhos independentes feitas por mulheres. A ideia do debate é trazer à tona a discussão sobre o papel da mulher não só na produção, como também no consumo de HQ, uma atividade considerada predominantemente masculina. Outro ponto do debate é levantar a questão das estratégias de autopublicação.
Além do bate-papo, as quadrinistas farão o lançamento do projeto “Zine XXX”, uma série de cinco zines (publicações independentes) feita exclusivamente por mulheres de todo o Brasil. A iniciativa do projeto foi de Beatriz Lopes, que se articulou pela internet para recrutar quadrinistas iniciantes e profissionais, e, juntas, conseguiram colocar o projeto em prática por meio de financiamento coletivo. “A experiência da Zine XXX bombou a discussão do lugar das mulheres na indústria de quadrinhos, suas experiências e relações específicas com a produção e a comunidade de HQ”, comenta a autora Lovelove6.
Em comum, as artistas abordam em suas HQs temas inerentes ao universo feminino, como sexualidade, amor, feminismo e humor. Lovelove6 é criadora da série “Garota Siririca”, publicada no blog da revista Samba (DF), produziu a zine “Ética do Tesão na Pós-Modernidade” e faz parte do projeto de webcomics “Batata Frita Murcha”. Sirlanney publica a tirinha “Magra de Ruim”, “SddS” e “Vingança de Odorica”. Beatriz Lopes faz parte do Coletivo Libre, no qual publica em conjunto com outros autores, e também publicou o zine “Mofo”.
A Biblioteca Pública Viriato Corrêa fica na R. Sena Madureira, 298, Vila Mariana. Tel. 5573-4017 e 5574-0389.

 

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2020 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados