Siga-nos

Carnaval 2019

Barroca tenta voltar ao Grupo Especial

Publicado

em

A tradicional escola de samba Barroca Zona Sul surgiu há quase 45 anos nas ruas da Vila Mariana. Depois, ficou por muitos anos sob o viaduto Aliomar Baleeiro, onde mantinha um barracão para os ensaios e produção de cada Carnaval. Mas, agora, com as obras do piscinão para evitar enchentes no Córrego Ipiranga, a escola se mudou e ensaia na Vila do Encontro, no Jabaquara.

Conhecida como verde e rosa do Carnaval paulistano, a Barroca já frequentou a elite dos desfiles oficiais no sambódromo, mas desde 2005 não está mais no Grupo Especial.

No ano passado, quase chegou lá: ficou em terceiro lugar no grupo de acesso e por alguns milésimos deixou de subir para o horário mais nobre dos desfiles no sambódromo do Anhembi.

Esse ano, a agremiação promete esforço redobrado com o enredo “Okê Arô”, projeto desenvolvido por uma Comissão de Carnaval com Fernando Dias, Rogério Sapo e Yuri Aguiar.

A Bateria comandada pelos mestres Acerola de Angola e Fernando Negão e a interpretação por Pixulé são outros destaques da verde rosa na pista.

Vale destacar que esse ano a disputa no Grupo de Acesso será dura, porque várias agremiações tradicionais – incluindo Nenê de Vila Matilde e Camisa Verde e Branco – estarão disputando a volta ao Grupo Especial.

Será dia 3 de março, domingo, terceira noite de apresentações no Sambódromo do Anhembi. A Barroca desfila às 23h, depois da Mocidade Unida da Mooca (21h), Independente Tricolor (22h). Em seguida, virão Nenê da Vila Matilde (0h), Leandro de Itaquera (1h), Camisa Verde e Branco (2h); Unidos do Peruche (3h); e Pérola Negra (4h).

O Sambódromo do Anhembi localiza-se na Av. Olavo Fontoura, nº 1209. Para informações sobre ingressos, acesse o site www.ligasp.com.br. A partir de R$ 30.

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2020 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados