Siga-nos

Educação

Aulas presenciais serão retomadas em fevereiro na capital

Publicado

em

As aulas presenciais serão retomadas em fevereiro na cidade de São Paulo – em escolas estaduais, municipais e particulares. Entretanto, nesse mês inicial, apenas um terço dos alunos deve comparecer e os demais permanecem com aulas à distância. Mas, como exatamente vai funcionar esse esquema?

Revezamento de alunos

Na rede estadual, a retomada acontece já em 1 de fevereiro. O Governo do Estado autorizou a abertura das escolas em todas as fases do Plano São Paulo.“Hoje, a ciência nos mostra que o espaço escolar é seguro desde que realizemos todos os protocolos corretamente. Estamos seguindo a ciência e junto com as prefeituras, vamos avançar para priorizar cada vez mais a educação, abrindo nossas escolas para todos os estudantes”, defendeu o Secretário da Educação, Rossieli Soares.

Nas escolas municipais, as equipes pedagógicas retornam no dia 1, mas as aulas presenciais só começam duas semanas depois, em 15 de fevereiro. Nesse período, cada escola deverá organizar o esquema de retorno presencial.

Isso porque os pais que preferirem manter seus filhos no esquema de educação à distância terão esse direito. E a partir do número de famílias  que desejam retomar as aulas presenciais, cada escola deverá organizar o esquema de revezamento para que todos os estudantes interessados possam comparecer de forma alternada à escola.

Nas escolas particulares, o esquema deve ser o mesmo. A expectativa, na verdade, é de que esse planejamento deverá ser feito por turma. Se em uma turma ou série o interesse por retomar a frequência à escola seja de 70% ou 100%, por exemplo, será preciso estabelecer as regras para o revezamento. Mas, se apenas 35% dos alunos quiserem as aulas presenciais, então esses deverão comparecer diariamente.

Ainda não se sabe como as escolas vão determinar as regras para aqueles que “faltarem” presencialmente, quando havia previsão de comparecimento, mas ao mesmo tempo entrarem nas aulas online. Novamente, na rede particular a tendência é que cada escola defina suas regras e forma de registro de presença ou alternância de alunos em sala de aula.

As informações foram transmitidas em entrevista coletiva virtual na quinta, 14. “Haverá monitoramento constante”, garantiu o vice-prefeito Ricardo Nunes.

Para a retomada das aulas será montado um sistema de acompanhamento da vigilância da rede de educação municipal por meio das Unidades Básicas de Saúde.

“Também teremos as Escolas Sentinelas. Vamos escolher na área das 28 Unidades de Vigilância Sanitária do município uma escola que será acompanhada durante os 14 dias do ciclo do coronavírus para ter todos os dados de alunos, funcionários e também dos pais. Ela será a nossa referência naquele território”, explicou o secretário municipal da Saúde, Edson Aparecido.

“A pandemia ainda não acabou, precisamos adotar todos os trabalhos necessários, mas o trabalho feito merece o nosso cumprimento. Seguindo as orientações da Saúde, podemos retomar as atividades presenciais”, disse o secretário municipal de Educação, Fernando Padula. 

Advertisement
Clique para comentar

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2021 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados