Siga-nos

Esporte

Aulas de tênis no Mané Garrincha: nova parceria

Publicado

em

Incentivar o tênis como prática esportiva parece um bom projeto para diferentes faixas etárias e pessoas de todas as camadas sociais ou bairros da capital. Mas, uma recente parceria estabelecida entre a Prefeitura de São Paulo e o Instituto Tênis pegou praticantes do esporte de surpresa. Isso porque a parceria prevê que, a partir da próxima semana, crianças carentes vão passar a ter aulas de tênis em espaços do Centro Esportivo Mané Garrincha, da Rua Pedro de Toledo – ao lado da sede da própria Secretaria de Esportes, aliás.

E qual o problema? As quadras eram usadas pela SATI (Sociedade Amigos do Tênis do Ibirapuera) há 35 anos. A entidade conta com cerca de 500 associados, em grande maioria idosos, e informou ter sido “surpreendida, no último dia 22/11/21, com a notícia repentina de que será desalojada”.

A entidade defende que as quadras foram construídas com recursos dos próprios associados, “desalojando esses idosos que tanto lutaram para deixar o espaço em perfeitas condições de uso”

Procurada, a Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SEME) informou que a parceria com o Instituto Tênis beneficiará 15 mil crianças de escolas públicas, pelos próximos cinco anos, nas atividades que serão realizadas no Centro Esportivo Mané Garrincha, na Vila Clementino.

E explicou que o Instituto Tênis foi selecionado, por meio de chamamento público, após comprovação de habilitação técnica e jurídica, e que o acordo de Cooperação que irá implementar o Projeto Rede Tênis Brasil já beneficiou outras 40 mil crianças em todo o país.  Na parceria com a SEME, o Instituto Tênis investirá mais de R$ 12 milhões, sem nenhuma participação de dinheiro público.

A Secretaria Municipal de Esportes ainda alega que as seis quadras do Mané Garrincha que serão usadas pela Secretaria Municipal de Esportes e Lazer na parceria com o Instituto Tênis vinham sendo usadas de forma irregular pela Sociedade Amigos do Tênis do Ibirapuera, sem um contrato formal, inclusive com denúncias recebidas pela Ouvidoria de cobrança por parte dos administradores da SATI pelo uso do espaço público.

Segundo a Secretaria, entretanto, houve uma reunião e ficou acordado que a Sociedade Amigos do Tênis do Ibirapuera poderá usar, de forma compartilhada, as quadras com as crianças do Projeto Rede Tênis Brasil. “A SATI, portanto, está ciente de que o espaço público deve beneficiar todos os cidadãos, e não apenas uma minoria”, concluiu, em nota.

O Instituto Tênis nasceu em 2002 com o objetivo de fomentar o tênis brasileiro, desenvolvendo atletas e treinados, com atuações que vão desde a apresentação da modalidade em escolas públicas até a formação de atletas de alto nível com destaque no cenário internacional. O Projeto Rede Tênis Brasil tem centros em Barueri, Rio de Janeiro, Brasília, Recife e Porto Alegre, além de contar com uma rede de academias e polos parceiros em todo o país.

 

CORREÇÃO:
O Instituto Tênis Brasil não é ligado à Fundação Lemman. Embora ambos tenham sido fundados e tenham como um de seus diretores o empresário Jorge Paulo Lemman, são entidades independentes. O texto foi corrigido

Advertisement
11 Comentários

11 Comments

  1. Lincoln Aoki

    5 de dezembro de 2021 at 10:18

    OK OK, concordo em partes.
    Eu, Lincoln Aoki, sou usuário munícipe, com carteirinha da Secretaria Municipal de Esportes da Prefeitura de São Paulo, frequento 2 vezes ou mais por semana as quadras de tênis do Mané Garrincha, Rua Pedro de Toledo 1651 SP. Venho reiterar que, a citação deste conceituado Jornal Zona Sul publicou de forma equivocada que usuários estão sendo obrigados a pagar uma mensalidade por parte do SATI, pois isso não é verdade. Foi formada uma comissão entre usuários munícipes de forma voluntária para que possamos manter as quadras de tênis e o local de forma conservada, daí, os usuários amantes de tênis contribuem de forma voluntária financeiramente apenas para manutenção e sem nenhum vínculo de recurso da Secretaria de Espertes do Município de SP (SEME). Antes da pandemia, para utilizar qualquer modalidade de esporte no Mané Garrincha, é necessário tirar a CARTEIRINHA via Secretaria de Esportes da Prefeitura de SP, e para frequentar é necessário fazer o exame médico obrigatório (para uso de piscina, para jogar tênis, e etc). O Tênis no Mané Garrincha sempre foi aberto aos usuários munícipes, inclusive antes da PANDEMIA COVI19, tinha aulas de tênis gratuitamente para crianças, adultos e idosos, e o Instituo Patrícia Medrado já fez treinamentos no local. Abs.

    • Jornal Zona Sul

      7 de dezembro de 2021 at 9:48

      O Jornal Zona Sul não “publicou de forma equivocada que usuários estão sendo obrigados a pagar mensalidade”. O Jornal apenas reproduziu nota da Prefeitura que, na verdade, aponta que houve “denúncias recebidas pela Ouvidoria de cobrança por parte dos administradores da SATI pelo uso do espaço público”

  2. Valdecir Mascarenhas

    5 de dezembro de 2021 at 11:39

    Bom dia, os usuários sócios da Sati são contribuintes voluntários, não é cobrado valor algum.Eu já deixei de contribuir diversas vezes e nunca me cobraram….. Toda a manutenção das quadras é bancada pela SATI, creio que se não existisse a associação, provavelmente não haveriam quadras ainda no local. E a contribuição não se limita ao valor irrisório, muitos dedicam tempo esforço e materiais para o bem estar de todos que sempre frequentaram as quadras do Mané Garrincha, (inclusive outras instituições qua já passaram por lá que dividam as quadras conosco).

  3. Natália Ramalho Pereira

    5 de dezembro de 2021 at 11:44

    O uso das quadras é gratuito, sempre foi, bastando o munícipe fazer a carteirinha do Clube Mané Garrincha, que TB eh gratuita. A contribuição era voluntária, para o chá, cafezinho, zeladoria, manutenção de dois funcionários que abrem o espaço todos os dias,incluindo finais de semana e muitos feriados. Eu mesma só paguei qdo quis e pude. Agora não há garantias reais de que o munícipe vai continuar tendo acesso ao espaço. A matéria foi escrita sem sequer conhecer o chamamento e o número real de beneficiados, agora limitado a uma faixa etária apenas. Antes, toda a população podia se beneficiar desse espaço público, inclusive com projetos para incentivar a prática esportiva do tênis. Eu aprendi a jogar num desses projetos, fiz aulas gratuitamente para adultos. Ele TB era oferecido a crianças, gratuitamente.

  4. Ana Paula da Conceiçao

    5 de dezembro de 2021 at 11:47

    Infelizmente a matéria não mostra o outro lado da questão, 1o embora o local seja público por falta de manutenção por parte da prefeitura , os usuários do clube mane Garrincha foram obrigados a se organizar a décadas mais de 35 anos, para fazer a zeladoria do local, construir novas quadras, banheiros e manter o local com a ajuda de 2 funcionários, e toda essa zeladoria custa dinheiro, dinheiro esse doado pela maioria dos usuários, que organizaram o agendamento das quadras através de um app, para usar o clube há necessidade de fazer a carteirinha e se possível a contribuição voluntária para permitir a zeladoria do local feita pelos usuários do clube que pegaram o espaço com mato e sem estrutura. Hoje o espaço é inclusivo com diversidade geracional com crianças, adolescentes, adultos, idosos. Os usuários do espaço não são contra o projeto, mas o escopo dos clubes municipais não é fomentar atletas de ponta e sim oferecer lazer , esporte amador, para isso ao lado do clube municipal tem o Centro Olímpico onde o acesso é restrito somente para futuros atletas de ponta. Infelizmente na cidade temos poucos espaços para lazer, em todos os parques deveria ter quadras de tênis e não há, o projeto terá 2.4 milhão ano, acreditamos que há espaços melhores para eles, ocuparem, tanto terrenos da prefeitura com mato, sem utilização social alguma. E para finalizar os políticos tem que aprender a consultar, ouvir a população antes de fazer açoes isoladas sem ao menos se informar quem está no local, e como o local é usado e como poderá melhorar.

  5. Marcio Santiago

    5 de dezembro de 2021 at 11:55

    No caso, sou um dos Tenistas que frequenta o local, e gostaria de esclarecer que as Contribuições são VOLUNTÁRIAS !!! Sem elas, o lugar já estaria totalmente abandonado. Porém algumas pessoas, não entendem o princípio das coisas, e acha que pelo fato de ser um espaço público, não poderia haver essas contribuições… Se nós não se juntarmos e organizarmos o espaço das quadras, nunca que estariam como estão !

  6. JOÃO BORGES DA SILVA

    5 de dezembro de 2021 at 12:34

    Boa tarde, sou tenista, tenho 71 anos, uso o espaço de tenis no Mané Garrincha a mais o menos uns 7 anos, as quadras muito bem conservadas pela Sati (SOCIEDADE AMIGOS TENISTAS DO IBIRAPUERA),contribuo voluntariamente para manutenção das quadras e pagamento de salários a funcionários.

  7. Genesio Mariano da Silva Junior

    5 de dezembro de 2021 at 18:26

    Se o Instituto tem dinheiro para investir porque não foram la no espaço deixado pelo Clube Tiete, o qual está praticamente abandonado.

  8. Luciana Ohira

    5 de dezembro de 2021 at 19:59

    Vcs sabem que vão tirar de mais 500 pessoas da comunidade, a graaande maioria idosos, aposentados, o local de lazer deles para por este projeto no local? Local este que ajudaram a construir e manter por décadas? Pois é…

  9. Aline Couto

    6 de dezembro de 2021 at 10:02

    Acho realmente um absurdo essa ocupação de áreas públicas por entidades privadas que se acham no direito de reservar horários, cobrar dos usuários, definir que reformas serão feitas…

    Se é para ser assim, realmente que se estabeleça uma parceria oficial, com direitos e deveres, limites para ocupação e garantindo o uso totalmente gratuito do espaço, preferencialmente para pessoas carentes.

  10. Glaucia Kuhlmann 66751128800

    13 de dezembro de 2021 at 22:53

    A SATI é uma sociedade sem fins lucrativos que construiu, cuidou e manteve essas quadras ao longo de mais de 40 anos (no papel há 35 anos), sempre com a anuência e incentivo da prefeitura. Agora sofreu uma rasteira, pois nem foi chamada a participar da tal licitação, feita na surdina, com apenas um interessado. Com o troco de um cafezinho o Sr. Lemann pode construir, em 15 dias, 20 quadras em cada complexo esportivo da prefeitura e realmente dar um impulso a este esporte maravilhoso. Por que tirar as quadras que servem a tantos idosos há tantos anos, misturados com jovens de todas as idades? É cruel e desumano.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2022 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados