Siga-nos

Destaques

Aeroporto de Congonhas completa 80 anos

Publicado

em

O Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, completou esta semana 80 anos: foi inaugurado em 12 de abril de 1936. E já há quase seis décadas é um dos três mais movimentados do mundo!!!
A história do Aeroporto tem fortes e estreitas relações tanto com a história da capital paulista quanto com a da região próxima a ele – tanto por aspectos positivos, quanto negativos. A própria escolha do endereço alterou a história da metrópole. Até o início do século XX, São Paulo era uma província e Santo Amaro era outra vila.
Historiadores apontam que foi justamente a escolha do terreno nos campos de Congonhas, até então pertencente ao território santamarense, que levou à decisão de anexar o município de Santo Amaro ao de São Paulo, por decreto em fevereiro de 1935.
Na época, os campos de Congonhas eram um grande deserto e poucas moradias ou chácaras se avistavam dali. Para ampliar o Aeroporto nos anos seguintes à inauguração, foram desapropriadas áreas vizinhas na década de 1940 .
No final dessa década, chegaram a ser iniciadas as obras para construção de três pistas para pousos e decolagens, mas apenas a principal chegou a ser efetivamente construída.
Segundo a Infraero, estudos técnicos teriam mostrarado que a pista única seria suficiente para atender às especificações aeroportuárias norte-americanas da então Civil Aviation Authority (CAA), hoje FAA, uma das mais modernas para a época.
Efetivamente, a cidade na década de 1940 era muito menor. Censos da época mostram que na década de 1950 a cidade saltou de 2 milhões para 3,5 milhões de habitantes – quase dobrou. Vale ressaltar que em 1970, a cidade contava com cerca de 6 milhões de pessoas – número que hoje está duplicado: somos 12 milhões de habitantes.
E não foi só o número de pessoas que cresceu ao longo dos anos, obviamente, mas também as moradias, que invadiram o entorno do aeroporto, inclusive com bairros repletos de prédios, como Moema.
Até a infra-estrutura viária comprometeu também um novo crescimento de Congonhas, hoje um Aeroporto cercado de avenidas importantes para a fluidez do tráfego local: para se ter uma ideia, se em 1970 São Paulo tinha 6 milhões de habitantes, hoje tem 8 milhões de automóveis!
O fato é que a pista principal só foi finalizada no final da década de 1950, com utilização de uma pista provisória auxiliar. Anos mais tarde, acabaria se tornando a pista paralela, que foi mantida até hoje.
Congonhas era o principal aeroporto do país até 1986, quando Cumbica, em Guarulhos, passou a sediar o aeroporto internacional e voos comerciais estrangeiros passaram a pousar e decolar lá.
Nos anos 2000, houve grande crescimento do tráfego áereo no país e popularização do avião como meio de transporte. Congonhas voltou a ocupar um espantoso primeiro lugar em movimento de passageiros no país, com picos de até 14 milhões de pessoas por ano.
Dois acidentes marcaram a história de Congonhas e geraram fervorosos debates sobre a necessidade de reduzir o número de voos. Há quase 20 anos, um fokker 100 da TAM caiu sobre casas no Jabaquara segundos após a decolagem, rumo ao Rio de Janeiro, matando 100 pessoas.
E há quase dez anos, outro voo da Tam ultrapassou a pista de Congonhas e atingiu prédios na Av. Washington Luiz, ao pousar vindo de Porto Alegre, marcando cerca de duas centenas de pessoas.

 

Acima, vista aérea de Congonhas na década de 1940. Abaixo, crianças de escola católica passeiam junto às cercas de Congonhas, no Jabaquara., além de foto feita em 1936, ano de inauguração

Acima, vista aérea de Congonhas na década de 1940. Abaixo, crianças de escola católica passeiam junto às cercas de Congonhas, no Jabaquara., além de foto feita em 1936, ano de inauguração

 

Foto 1

 

Foto 2

Advertisement
2 Comentários

2 Comments

  1. Ruy Natividade

    15 de abril de 2016 at 10:46

    Olá gostaria apenas de fazer um comentário a foto que mostra a pista com os hangares da Varig na verdade não são da década de quarenta. São mais recentes por volta de 1965. Sei do que afirmo porque ao fundo podemos ver claramente o hangar da Sadia no inicio da pista. O hangar do meu pai, o Hangar Natividade, era vizinho de parede ao da Sadia.

    • Jornal SP Zona Sul

      15 de abril de 2016 at 10:49

      Olá! Obrigado pela participação. Em nossos registros, constava como década de 1940, mas já vamos corrigir! 😉

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

© 2020 Jornal São Paulo Zona Sul - Todos os Direitos Reservados