Jornal São Paulo Zona Sul

Viaduto Mateus Torloni: nada de obras até agora…

É daquelas histórias que parecem não ter mais fim… Por que até agora não foram iniciadas as obras de readequação das alças de acesso do viaduto Mateus Torloni e sinalização viária do entorno? Se, por um lado, as promessas de obras são constantemente adiadas, por outro a fiscalização e autuação de motoristas que por ali trafegam ou estacionam continuam acontecendo com intensidade, relatam moradors..

Em maio, o jornal São Paulo Zona Sul questionou tanto a Prefeitura quanto o SP Expo sobre os quase dois anos entre a “cerimônia de inauguração” da obra viária e a prometida readequação. Sim, porque já no dia da inauguração já houve interdição de duas das alças, por conta de problemas de projeto.

Em 10 de maio promessa foi de que a obra seria iniciada no prazo de dez dias. Depois, como nada aconteceu, a Secretaria de Infraestrutura Urbana Siurb afirmou que a intenção era de começar os trabalhos em 28 de maio. Como o prazo também não foi cumprido, a Secretaria alegou, na época que, por conta da paralisação dos caminhoneiros, as máquinas estavam sem diesel e que a obra teria início logo que o abastecimento fosse normalizado.

Agora, moradores da vizinhança voltaram a questionar a demora e receberam da Prefeitura Regional do Jabaquara explicação diferente: “a Secretaria Municipal de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB) já emitiu o TCA para execução das obras de adequação viária da alça de acesso do viaduto Mateus Torloni. A execução das obras é responsabilidade da SP Expo”, diz a nota.

Esta semana, o jornal SPZS questionou o São Paulo Expo sobre a explicação que respondeu, em nota, enviada por sua assessoria de imprensa: “A fim de proporcionar melhorias nas Novas Vias de Acesso, o projeto de readaptação está em andamento entre as partes, com o mesmo objetivo de melhorar a mobilidade urbana na região e trazer benefícios aos visitantes de feiras e eventos realizados no São Paulo Expo. A licença foi enviada, porém havia um erro, já corrigido, sendo o documento devolvido. Estamos no aguardo final da liberação e, após a aprovação, a previsão é termos 30 dias de obras”.

Problemas

A readequação das alças pode minimizar problemas de trânsito no entorno, especialmente em dias de eventos. Mas, dificilmente será o suficiente para impedir a formação de novos congestionamentos.

Além da interdição de duas das alças que compõem o complexo viário, há outros problemas no entorno. O principal deles é a sinalização confusa, que inclui “mão inglesa”, ou seja, com tráfego pela esquerda, na entrada ou saída da Rua Santa Antília para o viaduto.  Há ausência de indicações de solo e as placas de sinalização vertical são repetidamente danificadas.

Comentar

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!