O Conselho Municipal do Patrimônio Histórico, Conpresp, decidiu pelo arquivamento do processo que pedia a preservação do prédio sede da Cruz Vermelha, no Planalto Paulista, incluindo a área verde que o envolve. A Sociedade Amigos do Planalto Paulista vem reivindicando que a área se transforme em um Parque, mas há um projeto para que ali seja construído um shopping center. O assunto desperta paixões e debates vêm sendo levantados em páginas da internet, com pessoas defendendo e outras contrárias a transformação da área em shopping.

A Cruz Vermelha alega que não tem recursos para manter seu trabalho e que a imensa área tem alto custo de manutenção. A entidade informou que manterá o hospital que ocupa apenas trecho do terreno e que os recursos advindos da concessão do terreno ao grupo que pretende implantar o centro comercial serão usados para ampliá-lo e modernizá-lo.

Na reunião do Conpresp, havia representantes do grupo interessado na construção do shopping. Apresentaram detalhes da proposta: o centro comercial terá três pavimentos abaixo do nível do solo para estacionamento e dois pisos acima do solo para lojas, com recuo de seis metros da divisa de fundos. Termo de Compromisso Ambiental define que 24% da área deve ser mantido “permeável”, ou seja, não pode ser concretado e impedir a passagem natural de água da chuva, o que significa que um quarto do terreno deve ser arborizado.

O projeto ainda aponta que o shopping terá salas de cinema com capacidade para quase 1000 pessoas e teatro para outras 500. A área para lojas ocupará mais de seis mil metros quadrados.

Protesto sábado, 24

O projeto se baseia em uam concessão do terreno, com pagamento à Cruz Vermelha, porque o imóvel foi doado à entidade, há mais de 100 anos, sob a condição de que ali haveria atendimento assistencial e hospitalar.

Por conta disso e também pela proximidade da área com um bairro residencial, a Sociedade Amigos da Cidade Vargas não vai desistir da luta para impedir o empreendimento . Eles já recorreram ao Ministério Público e pretendem fazer um protesto neste sábado, dia 24, das 11h às 13h, quando será promovido um “abraço” à área da Cruz Vermelha, na Rua Moreira Guimarães, 699

Compartilhe:

Comente essa matéria: