Cúpulas de vidro para garantir luminosidade e circulação de ar naturais são destaques nos projetos das novas estações da linha 5 Lilás, do metrô, que vai ligar Santo Amaro à região da Vila Mariana.  Mas, também têm chamado a atenção os prédios que estão sendo construídos praticamente em todas as novas paradas. São edifícios de quatro ou mais andares, em alguns casos, como na estação Santa Cruz, com vários lances externos de escada.

Procurado, o Metrô explicou que o projeto respeita as diretrizes do moderno método construtivo adotado e os edifícios anexos contemplam plenamente as necessidades técnicas e operacionais do sistema metroviário e dos empregados. Diferente de outras linhas, concebidas no passado, o prolongamento da Linha 5 até Chácara Klabin apresenta maior visibilidade das áreas físicas (salas técnicas e operacionais), uma vez que estas são construídas na superfície e não no subterrâneo.

É curioso, entretanto, lembrar que o metrô tem reduzido o númeor de funcionários e que a linha vai ser concedida à iniciativa privada, muitas devem operar com número reduzido de funcionários – já que os novos trens são operados sem maquinista.

O metrô nega que haja projetos de conceder os edifícios à iniciativa privada para exploração comercial.

A nova linha, segundo a empresa, quando estiver operando totalmente, deve atender demanda de mais de 800 mil passageiros por dia.

Compartilhe:

Comente essa matéria: