Mais um Dia da Independência celebrado e o Museu do Ipiranga continua de portas fechadas. Pior: até agora, as obras para recuperação de um dos maiores e principais acervos da história do país sequer começaram e não há previsão.

O Museu foi fechado à visitação em 2013, há quatro anos, por riscos em sua estrutura, às vésperas da celebração de 7 de setembro daquele ano.

O tema do restauro do metrô sempre volta à tona nessa época, sempre com más notícias. Dessa vez, a USP resolveu anunciar que um concurso será realizado e vai resultar na escolha da melhor proposta para o projeto arquitetônico de restauro e modernização do edifício-monumento.

O concurso é nacional e interessados em participar deverão enviar o projeto pelo site do museu. A inscrição vai até novembro.

Os três melhores estudos preliminares de arquitetura serão selecionados. O terceiro colocado ganhará um prêmio de R$ 10 mil, o segundo, R$ 15 mil, e o primeiro, R$ 25 mil, além de celebrar o contrato para a elaboração do projeto executivo da reforma. Isso quer dizer que além de elaborar o projeto, o vencedor será responsável por detalhar como será executada a proposta que elaborou, determinando desde o material até a mão de obra.

A escolha dos vencedores será feita por duas comissões e o julgamento deve durar até cinco meses. A primeira comissão será composta por representantes de cinco órgãos de tombamento municipais, estaduais e federais: Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp); Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico (Condephaat); Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan); Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) e Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU). A segunda comissão é técnica, formada pelos principais especialistas da área de restauro ligados à USP.

Depois de escolhida a proposta, o vencedor terá 15 meses para elaborar o projeto executivo, em seguida será aberta a licitação para a execução das obras. A empresa que vencer a licitação terá 30 meses para concluir o trabalho. O objetivo é reabrir o museu a tempo de preparar a exposição para a celebração do bicentenário da Independência do Brasil, em 2022. Entretanto, a administração do museu evita precisar nas datas porque cada etapa faz parte de um processo público que pode ser questionado.

Ao ser reaberto, o museu contará com suas instalações inteiramente modernizadas e adequadas às normativas de acessibilidade e segurança. O edifício passará a ser dedicado exclusivamente à visitação pública, com exposições que valorizem arquitetura monumental do prédio. Ao mesmo tempo as obras manterão as características originais porque o edifício é um patrimônio histórico tombado.

O Museu também está promovendo um concurso de crônicas.

Compartilhe:

Comente essa matéria: