Quando foi apresentado o projeto da cidade de São Paulo para receber a Copa do Mundo 2014, estava incluída a construção de uma linha de metrô, em sistema monotrilho de superfície, que faria a ligação tanto do Aeroporto de Congonhas com a malha ferroviária urbana quanto facilitaria o acesso ao Estádio do Morumbi. O estádio da zona sul paulistana foi descartado dos planos para a Copa, mas ainda assim em 2012 as obras começaram, com a promessa de que seriam concluídas em 2014.

Agora, cinco anos depois, as obras nitidamente estão longe de terminar. Uma nova Copa do Mundo se aproxima – 2018, na Rússia – e até lá a linha Ouro do metrô ainda não estará em operação. A nova promessa é de que a conclusão das obras só se dará um ano depois, ou seja, em julho de 2019…

E ainda assim, será parcial, já que não há qualquer previsão de quando será construído o ramal prometido entre Jabaquara e Congonhas.

De acordo com o Metrô, a escolha do estádio de Itaquera para a realização da Copa do Mundo de Futebol de 2014, fez com que a Linha 17-Ouro fosse retirada da Matriz de Responsabilidade da Copa, em 2012, e seu cronograma de implantação fosse alterado.

Além disso, explica a empresa, “a construção da linha foi impactada pelo abandono de parte das obras do trecho prioritário da linha – entre o aeroporto de Congonhas e a estação Morumbi da CPTM -, por parte dos consórcios contratados para a execução deste serviço”.

O metrô só conseguiu rescindir o contrato com essas construtoras em janeiro de 2016, e negociou com outras empresas que participaram da licitação, conseguindo retomar a execução de mais três estações e também do pátio de manutenção e manobras. Por estas razões, o cronograma de entrega e início de operação foi afetado e a expectativa é a de concluir o trecho em 2019.

Ainda de acordo com a empresa, os outros dois trechos – entre as estações Morumbi da CPTM e São Paulo-Morumbi, e entre as estações Jabaquara e Aeroporto de Congonhas – o início da implantação está suspenso até que sejam equacionadas questões referentes às ampliações viárias com a Prefeitura de São Paulo, além das desapropriações necessárias para o prosseguimento destas obras.

Vale questionar ainda, entretanto, se houve falhas no planejamento da obra, já que, inicialmente havia sido divulgado que a construção da linha em superfície, com o sistema de monotrilho, seria bem mais rápida.

Agora, o Governo do Estado vai repassar tanto a linha Ouro quanto a linha 5 – Liás, para a iniciativa privada, em concessão de 20 anos.  O lance mínimo esperado é de R$ 189,6 milhões. Os vencedores do leilão assumirão as operações das linhas, além de fazer investimentos permanentes em melhorias. O pregão estava previsto para ocorrer em julho, mas foi adiado e a nova previsão é de que aconteça em 28 de setembro.

A Linha 17-Ouro integrará o Aeroporto de Congonhas à rede metroferroviária da capital paulista, com tecnologia de Monotrilho. Além de um pátio de manutenção e estacionamento, o trecho de 7,7 quilômetros de extensão compreenderá as seguintes estações elevadas: Congonhas, Jardim Aeroporto, Brooklin, Vila Paulista, Vereador José Diniz, Campo Belo, Vila Cordeiro, Chucri Zaidan e Morumbi. O ramal terá integração com a linha 5-Lilás, do Metrô, e a Linha 9-Esmeralda, da CPTM. A demanda diária prevista será de 200 mil usuários.

Linha 5

Em entrevista ao programa Bom Dia São Paulo, da tv Globo, na quarta-feira, dia 30, o presidente do metrô, Paulo Menezes de Figueiredo, confirmou que houve atraso na inauguração das estações Borba Gato, Alto da Boa Vista e Brooklin.

Em maio, o governador Geraldo Alckmin havia afirmado que estariam em operação em julho. Em julho, o metrô informou que deveriam ser abertas em agosto e agora a nova previsão é de que a abertura será ainda na primeira quinzena de setembro. “Serão abertas nos próximos dias”, garantiu Figueiredo na entrevista à Rede Globo.

Na sexta passada, dia 1, o metrô finalmente anunciou que a inauguração acontece nesta quarta, 6.

Ele ainda explicou que a abertura das paradas será em esquema experimental, ou seja, por período de abertura reduzido, diariamente, e com passagens gratuitas.

Segundo Figueiredo, estão mantidas as previsões de inaugurar as demais estações da Linha 5 – Lilás, ainda este ano, no mês de dezembro. Só a estação Campo Belo deverá ser aberta em março de 2018

Compartilhe:

Comente essa matéria: