A Febre Amarela “viajou” de Minas Gerais, chegou a São Paulo e está gerando uma  mobilização intensa dos agente de saúde para evitar que se instale na cidade e atinja moradores. Por enquanto, a doença, que é causada pela picada de um mosquito infectado, fez vítimas entre macacos que habitam parques na Zona Norte da cidade.

Como medida preventiva, a Prefeitura determinou o fechamento de onze parques públicos na zona norte da cidade. Os macacos não transmitem a doença, mas mosquitos podem picar os animais e leva-la a outros pontos da cidade.

A Zona Sul também tem população de animais silvestres, vizinhos aos distritos da Vila Mariana, com destaque para os que vivem soltos pelo Parque do Estado, ou para os que habitam o Zoológico, em cativeiro.

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente explica que não há vacinas para prevenir a doença em animais silvestre. No Zoológico, há também uma grande diversidade de animais de vida livre, entre elas, o macaco-bugio, espécie que foi infectada nos parques da zona norte.

A Fundação Parque Zoológico informou que não houve até o momento, NENHUM registro de macaco no PEFI apresentando sintomas ou que tenha vindo a óbito com diagnóstico da doença. “Não há motivo para alarde. O Zoológico e o Zoo Safári permanecem com o funcionamento normal de suas atividades”, informou o Zoo, em nota.

A Fundação ainda diz estar atenta a situação ter intensificado  o monitoramento que já realiza com espécies silvestres no PEFI, especialmente dos grupos de macacos-bugio, coordenando as ações que contam com a parceria de outras instituições localizadas no Parque (Instituto de Botânica e Parque Cientec).

A febre-amarela silvestre acomete os macacos, hospedeiros naturais do vírus, e é transmitida pela picada dos mosquitos contaminados Haemagogus e Sabethes a outros primatas e a seres humanos que entrem em seu habitat natural e não tenham sido vacinados.

Por enquanto, entretanto, a Prefeitura também está concentrando a vacinação na zona Norte da Cidade, onde foram detectados os casos até agora.

A Zona Norte conta com 37 Unidades Básicas de Saúde (UBS) para aplicação da vacinação preventiva (veja a lista completa). Nesta primeira fase, a prioridade da vacinação é para pessoas que residam a até 500 metros no entorno do Parque do Horto. Mais de 500 mil pessoas já foram vacinadas até 1º de novembro.

Haverá ampliação do horário de atendimento nesses postos, que também atenderão a população no fim de semana. Se você mora em outras regiões da cidade, não é necessário se vacinar.

Quem já tomou a vacina em alguma fase da vida não precisa de reforço. A Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde recomendam apenas uma dose da vacina para prevenção.

Compartilhe:

Comente essa matéria: