Diário de Anne Frank, da companhia Cid Chagas, será encenado nesse fim de semana na Casa das Rosas. Espetáculo gratuito integra a programação sobre migração, que acontece durante todo o ano no museu-casa

Conhecida mundialmente, a história de Anne Frank é tema de releitura dramática na Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos, integrante da Rede de Museus-casas Literários da Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, gerenciados pela Poiesis. No espetáculo intimista Anne Frank, que acontece de 6 a 8 de abril – sexta-feira e sábado, às 19h00 e domingo, às 11h00 – o público revive as angústias diante dos horrores da Segunda Guerra Mundial, a partir do olhar sensível da adolescente. A peça da companhia Cid Chagas integra a programação sobre migração, que acontece durante todo o ano no museu-casa.

Em julho de 1942, Anne e sua família (pais e irmã), além de outros judeus, se esconderam em um anexo secreto junto ao escritório de seu pai, em Amsterdã, durante a ocupação nazista nos Países Baixos. Durante o tempo escondida, Anne Frank usou seu diário para contar sobre sua vida antes e depois do confinamento. Em agosto de 1944, agentes da Gestapo detiveram todos os escondidos, separando Anne de seus pais e levando todos para campos de concentração. O diário de Anne Frank foi entregue por Miep Gies a Otto H. Frank, seu pai, após a morte de Anne Frank ser confirmada – ela faleceu no campo de concentração Bergen-Belsen em março de 1945, quando tinha 15 anos.

O espetáculo é criação da companhia Cid Chagas, de Pereira Barreto, interior de São Paulo. O grupo fez parte do Programa de Qualificação em Artes, que tem como ação principal a orientação artística a grupos, companhias ou coletivos de teatro e de dança no interior, litoral e região metropolitana de São Paulo, exceto capital. A orientação artística visa à valorização desses grupos, fomentando a formação de público e a vida cultural das comunidades, fortalecendo assim a produção cultural local.

SOBRE A CASA DAS ROSAS

A Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos é um museu dedicado à poesia, à literatura, à cultura e à preservação do acervo bibliográfico do poeta Haroldo de Campos, um dos criadores da poesia concreta, na década de 1950. Localizado na emblemática Avenida Paulista, o espaço realiza intensa programação de atividades, como oficinas de criação e crítica literárias, palestras, ciclos de debates, exposições, apresentações literárias e musicais, saraus, lançamentos de livros, performances e apresentações teatrais, entre outros.

O museu funciona num dos raros casarões remanescentes da época inicial da Paulista, construído em 1935 pelo escritório Ramos de Azevedo. Ao associar um patrimônio histórico e arquitetônico da cidade ao legado de um dos principais representantes de nossos movimentos de vanguarda, a Casa das Rosas representa as transformações tanto urbanas e sociais como artísticas e culturais de São Paulo. 

SOBRE A POIESIS

A POIESIS – Organização Social de Cultura é uma organização não governamental que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

Serviço: Espetáculo Anne Frank

6 a 8/4. Sexta-feira e sábado, às 19h00. Domingo, às 11h00.

Recomendação etária: livre. 25 lugares (por ordem de chegada).

Atividade gratuita sem necessidade de inscrição prévia.

Casa das Rosas – Espaço Haroldo de Campos de Poesia e Literatura

Avenida Paulista, 37 – próximo à estação Brigadeiro do metrô.

Funcionamento: de terça a sábado, das 10h às 22h. Domingos e feriados, das 10h às 18h.

Convênio com o estacionamento Parkimetro: Alameda Santos, 74 (exceto domingos e feriados).

Telefone: (11) 3285-6986 | (11) 3288-9447 | www.casadasrosas.org.br

Compartilhe:

Comente essa matéria:

WhatsApp chat Receba as edições por WhatsApp!